Retirada de direitos: João Daniel lamenta repressão a manifestantes na Câmara


Aracaju, 09 de maio de 2017

 

Em mais uma semana em que projetos polêmicos – com reflexos diretos para a população brasileira – estão sendo votados na Câmara dos Deputados, trabalhadores de várias categorias foram novamente impedidos de acompanhar o que se passa dentro do parlamento. O deputado federal João Daniel (PT/SE) lamentou o cerco montado, nessa terça-feira, dia 9, inclusive com colocação de grades ao redor da Casa, para impedir a presença do movimento sindical e da população em geral. “Toda vez que esta Casa é cercada, aqui dentro estão sendo votados projetos contra o povo”, afirmou o parlamentar.

 

João Daniel disse que o projeto da reforma da Previdência – que hoje teve votados os destaques para seguir para votação em plenário – humilha o povo brasileiro, retira os direitos da classe trabalhadora e está a serviço do grande capital e dos bancos. “O governo federal golpista quer acabar com a Previdência pública. Nossa solidariedade a todos que querem um mínimo de democracia. Que o presidente desta Casa abra a Câmara para que todos possam entrar, sim, participar do debate, ouvir e trazer sugestões”, disse, lembrando que o parlamento deve ser um espaço democrático para toda a sociedade brasileira ouvir e debater.

 

O deputado acrescentou que hoje está em todos os jornais que o governo vai arrumar R$ 6 milhões, destinados a emendas imediatas, para cada um dos 330 parlamentares, com o objetivo de aprovar em plenário a reforma da Previdência. “É assim que este governo quer governar: trancando a Câmara Federal com grades e arrumando emendas imediatas, recursos e cargos para os 330 votos”, indagou João Daniel, reafirmando seu posicionamento contrário à reforma da Previdência.

 

Por Edjane Oliveira, da Assessoria de Imprensa

Foto: Mídia Ninja