“O que nós queremos é a verdade”, diz João Daniel ao se solidarizar com o ex-presidente Lula


 

Aracaju, 10 de maio de 2017

 

 

Lula chega ao prédio da Justiça Federal para prestar depoimento

Na tribuna da Câmara, na sessão dessa quarta-feira, dia 10, data em que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva presta depoimento à Justiça, em Curitiba (PR), o deputado federal João Daniel (PT/SE) prestou solidariedade ao companheiro de partido e cobrou que a verdade seja esclarecida. O parlamentar afirmou que não se pode criminalizar ninguém sem que haja provas. “Nem ele [Lula] nem nós, ninguém tem medo nenhum. O que nós queremos é a verdade. O que não se pode é criminalizar sem nenhuma prova”, disse.

 

Para João Daniel, Lula está sendo ouvido por ter sido o presidente mais popular, o presidente do povo brasileiro, que orgulhou o Brasil para o mundo inteiro. “Nós queremos a verdade e a justiça”, disse, ao parabenizar todos que foram a Curitiba realizar um ato em defesa da democracia, da Constituição e da verdade.
Na avaliação do deputado João Daniel, o que querem, realmente, é tornar o ex-presidente Lula inelegível. “Esperamos que não seja mais um golpe. O primeiro foi retirar a presidenta Dilma Rousseff sem nenhum crime e o segundo, agora, querem tirar a elegibilidade de Lula, através de uma invenção criminosa, e assim deixá-lo de fora da disputa presidencial”, afirmou o petista.

 

Entretanto, ressaltou João Daniel, a questão não é a disputa de 2018. Segundo ele, a questão é qual é o projeto que esse país vai construir nesse período governado por um grupo que diz que está fazendo as reformas, mas que, para ele, não são reformas. “Estão quebrando a Previdência pública para entregar ao setor privado. Aprovamos nesta Casa, sem o apoio da oposição, a Reforma Trabalhista e a prova que veio mostra que as digitais eram dos empresários que aprovaram a lei para quebrar os direitos trabalhistas”.

 

Além das reformas, o parlamentar apontou outras medidas desse governo que vêm prejudicando o presente e o futuro dos brasileiros. “Se é nas terceirizações, é o fim dos concursos públicos para a nossa juventude, é o fim das garantias de direitos da classe trabalhadora, através da Constituição federal e da CLT. Se é a PEC 55, congela os gastos públicos por 20 anos, mas não congela o pagamento de juros e não se fala em cobrar do andar de cima, dos devedores da Previdência”, acrescentou.

 

O deputado ressaltou ainda que o presidente Lula é um homem íntegro e até agora não há uma prova sequer contra ele, “a não ser difamação e criminalização contra o maior Líder popular dos últimos 100 anos”, completou João Daniel. Ele avaliou as grandes mobilizações que acontecem desde o início da semana em Curitiba como demonstrações da força da democracia e do povo brasileiro em defesa da verdade. “Parabéns a nossa militância e aos movimentos que lá estão na defesa do presidente Lula e na defesa da Constituição brasileira”, concluiu.

 

Por Edjane Oliveira, da Assessoria de Imprensa

Foto: Ricardo Stuckert/Instituto Lula