Mulheres: João Daniel ressalta importância da luta para que diretos não sejam perdidos com reformas


Aracaju, 08 de março de 2017

Ato realizado pelas mulheres em Aracaju

Os vários atos realizados em Sergipe e em diversos estados do país para marcar a passagem do 8 de março, Dia Internacional da Mulher, foram destacados pelo deputado federal João Daniel (PT/SE). Em Sergipe, mulheres de movimentos sociais e sindicais realizaram ato em frente à agência da Previdência Social no Centro. Houve atos também em outros municípios como Nossa Senhora da Glória e Lagarto. O parlamentar registrou a importância das mobilizações que em todo país focaram a luta contra a reforma da Previdência que atinge, especialmente as mulheres, ao ampliar e igualar a idade mínima para aposentadoria em 65 anos e, no caso das trabalhadoras rurais, estas terão que trabalhar dez anos a mais que o previsto atualmente.

 

Mobilização de mulheres também em Lagarto

“Quero parabenizar todas as mulheres pelas lutas nos dias de hoje. Nas ruas em todo o Brasil, com o movimento sindical, o movimento popular, todos os movimentos em luta, nenhum direito a menos, não à reforma da Previdência”, disse, ao ressaltar que as mulheres lutam para construir uma sociedade justa e sem preconceito.

 

O deputado lembrou que essa proposta de reforma Previdenciária vem retirar direitos de todos, mas prejudica de forma especial as mulheres. “A nossa luta é por nenhum direito a menos, pela rejeição desse projeto de reforma previdenciária e pela continuidade do tratamento diferenciado para as mulheres, devido às suas especificidades, já que isso tem o nome de justiça”, disse, referindo-se à jornada dupla e até tripla que as mulheres desempenham, sendo responsáveis, além das atividades profissionais fora de casa, pela grande maioria das tarefas domésticas.

 

Trabalhadoras realizaram ato em frente a agência da Previdência Social em Nossa Senhora da Glória

Em seu discurso, João Daniel lembrou de grandes mulheres que são símbolos de luta por melhores condições de vida para o povo, a exemplo da filosofa e economista Rosa Luxemburgo, que foi assassinada; a trabalhadora rural Margarida Alves, também assassinada por lutar pelo direito à terra; e também irmã Dorothy, outra lutadora em defesa dos povos da Amazônia que foi assassinada.

 

Direitos ameaçados

Na manhã desta quarta-feira, dia 8, o deputado João Daniel participou de reunião da Frente Parlamentar Mista em Defesa da Previdência Social. Na oportunidade, o parlamentar também destacou a importância dos atos e ocupações por todo país em que as mulheres se posicionaram contrários à Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 287 que trata da reforma da Previdência.

 

João Daniel participou de reunião da Frente Parlamentar Mista em Defesa da Previdência Social

João Daniel ressaltou que o país vive um momento de golpe contra a democracia, iniciado a partir do momento que uma mulher foi reeleita para a Presidência da República e impedida por setores conservadores de governar. “Aí a retiraram à força, implementaram a aprovação da PEC 55 que é o maior golpe contra os direitos da classe trabalhadora e a sociedade brasileira, pois congela por 20 anos os investimentos em setores importantes como saúde e educação, e agora querem entregar aos setores privados a Previdência e acabar com essa conquista que é a previdência pública”, ressaltou.

Por Edjane Oliveira, da Assessoria de Imprensa