“Moro fez cumprir a agenda do golpe”, avalia João Daniel sobre condenação de Lula


Aracaju, 12 de julho de 2017

 

 

O deputado federal João Daniel (PT/SE) classificou como lamentável a sentença proferida nesta quarta-feira, dia 12, pelo juiz federal de primeira instância Sérgio Moro, contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, no processo da operação Lava Jato relacionado ao Tríplex do Guarujá. “O que está sendo feito é um crime, não podemos aceitar. Não há uma prova sequer contra ele. Nossa solidariedade ao Lula, como brasileiro e militante”, disse o deputado.

 

Em discurso na Câmara, o parlamentar levou uma mensagem à militância brasileira e à esquerda do nosso país e afirmou ter certeza que o presidente sairá vitorioso no recurso à segunda instância, no Tribunal Regional Federal da 4ª Região. Para João Daniel, essa condenação faz parte de todo enredo do golpe que vem acontecendo no Brasil. “O que Sérgio Moro fez foi cumprir a agenda do golpe. No momento que se está investigando o presidente Michel Temer, em que há a Reforma Trabalhista e da Previdência em discussão ele cria um fato sem nenhuma prova consistente contra o presidente Lula”, acrescentou.

 

O imóvel, alvo do processo que culminou nessa condenação, nunca ficou provado ser de propriedade do ex-presidente. Inclusive sua defesa apresentou vasta documentação que comprova que o mesmo estava de posse da construtora OAS, que chegou a indicar o apartamento na relação dos bens constantes da recuperação judicial da empresa, dando-o como garantia em operações financeiras.

 

Perseguição

João Daniel ressaltou que Lula foi o maior presidente da história do Brasil, reconhecido no mundo inteiro, o maior líder popular dos últimos 100 anos no Brasil. “Lula é um dos homens mais perseguidos na história do Brasil. Queremos justiça e vamos recorrer a todas as instâncias superiores e temos certeza da vitória, porque acreditamos na Justiça. Que ela seja feita e a verdade prevaleça”, disse o deputado petista.

 

Para o parlamentar, esse juiz há muito tempo já mostrou que está a serviço das grandes corporações internacionais, com o objetivo de terminar o projeto que o PSDB não conseguiu implantar no país, que pretendia destruir a Petrobras e avançar contra a esquerda. “Este é um golpe para acobertar a Reforma Trabalhista, a Reforma da Previdência e a cassação de Michel Temer. Esse juiz não enxerga nada do PSDB. Só enxerga o Lula e a Petrobras, para destruí-la e com o pretexto de combater a corrupção”, disse, acrescentando que quem combateu a corrupção nesse país foi Lula e o PT, ao fortalecer as instituições e dar autonomia à Polícia Federal, Ministério Público Federal e outros órgãos de fiscalização e controle. Ele acrescentou que a classe operária e camponesa e as instituições democráticas devem estar atentas e não aceitar esse momento calado.

 

Apesar da condenação proferida por juiz de primeira instância, ela não impede Lula de se candidatar a um cargo público nas próximas eleições. Apenas caso a decisão seja confirmada por instância superior.

 

Por Edjane Oliveira, da Assessoria de Imprensa

Foto: Ricardo Stuckert