Ministro da Defesa é ouvido na Cindra após requerimento de João Daniel


Aracaju, 30 de junho de 2017

 

Em audiência pública realizada na Comissão de Integração Nacional, Desenvolvimento Regional e da Amazônia (Cindra), o ministro da Defesa, Raul Jungmann, foi ouvido pelos deputados. A ida do ministro atendeu ao requerimento 141/2017, apresentado pelo deputado federal João Daniel (PT/SE), juntamente com o deputado Patrus Ananias (PT/MG), que queria ouvir o representante do governo federal sobre alguns temas importantes para a soberania nacional. A audiência foi realizada em conjunto com as Comissões de Seguridade Social e Família; de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado; e a Comissão de Trabalho, de Administração e Serviço Público.

 

Um dos principais questionamentos feitos pelo deputado João Daniel, durante a audiência da última quarta-feira, dia 28, foi sobre a visão do Ministério da Defesa sobre os projetos de lei que tramitam na Câmara dos Deputados que tratam sobre a possibilidade de venda de grandes extensões de terra no Brasil a grupos estrangeiros, proposta defendida pela bancada ruralista. Um desses projetos, o PL 2289/2007, permite a venda de até 100 mil hectares e o arrendamento e outra área equivalente dentro do mesmo município, por empresa estrangeira.

 

O ministro Raul Jungmann afirmou que, do jeito que está o texto desses projetos, o Ministério da Defesa é contra. “Não se trata de fechar totalmente a porta e ter posição xenófoba. Mas nós sabemos que ali, de fato, existem interesses estratégicos para o país”, disse. Jungmann acrescentou que o Ministério se reservou ao direito de sugerir modificações e vetos ao texto. “Isso está sendo analisado e, mais ainda, nós pedimos, juntamente com o GSI [Gabinete de Segurança Institucional] a convocação do Conselho de Defesa Nacional, para que o Conselho pudesse optar efetivamente por esse tema. Do jeito que está, esse projeto não atende, em alguns aspectos, ao interesse nacional”, afirmou o ministro.

 

Americanos na Amazônia

Outro questionamento feito pelo deputado João Daniel ao ministro Raul Jungmann foi sobre as notícias veiculadas na imprensa quanto à realização de manobras militares conjuntas entre o Exército brasileiro e o Exército americano, na região da Amazônia. O parlamentar, que sempre tem acompanhado essa questão da soberania nacional, se mostrou preocupado com essa informação e ressaltou que todas as guerras que aconteceram e acontecem na humanidade são provocadas por interesses econômicos.

 

“Sempre se cria um motivo para atingir a soberania de um país, para justificar para a opinião pública os massacres as destruições”, disse João Daniel, que acrescentou que as Forças Armadas têm o papel de zelar pela soberania nacional e não o de cuidar da segurança pública. E sobre essas notícias o deputado João Daniel pediu que o ministro Raul Jungmann confirmasse ou não se estão sendo realizados exercícios militares na Amazônia com a presença de observadores norte-americanos e qual seria o sentido dessa cooperação, uma vez que o Brasil sempre tratou a segurança da Amazônia como um assunto exclusivo nacional.

 

Ao tentar se explicar, o ministro da Defesa disse que esse é um tema recorrente e que não passa de notícias falsas, das quais todos são vítimas. “Não há tropa americana nesse negócio. O que se tem de fato é uma ação voltada para logística humanitária, que não é militar, e virão americanos como vêm peruanos, mexicanos e chilenos”, disse, acrescentando que faz parte da doutrina da defesa do Brasil não permitir a presença de tropas estrangeiras no país fora as do sul do continente.

 

Por Edjane Oliveira, da Assessoria de Imprensa

Fotos: Thiago Dhatt