João Daniel registra realização do VIII Seminário Nacional de Agrobiodiversidade e Sementes Crioulas


Aracaju, 23 de novembro de 2017

 

 

Em discurso na Câmara dos Deputados, na sessão desta quinta-feira, dia 23, o deputado federal João Daniel (PT/SE) registrou a realização, em Aracaju, do VIII Seminário Nacional de Agrobiodiversidade e Sementes Crioulas, realizado pelo Movimento Camponês Popular (MCP), que acontece até amanhã. Participam da atividade entidades e movimentos sociais de várias partes do país, debatendo temas importantes como a produção de sementes, soberania nacional e a construção de um Brasil, pensando-se no povo brasileiro e na natureza. “As sementes são uma das questões mais fundamentais para os camponeses”, ressaltou o parlamentar.

 

João Daniel esteve presente à abertura do Seminário, na noite da última terça-feira, dia 21, e na manhã do dia seguinte participou do ato político em defesa da soberania nacional, realizado em conjunto com a Frente Brasil Popular em Sergipe, para aprofundar o debate sobre esse tema. Segundo o deputado, esse seminário é um espaço em que as entidades têm debatido a importância do fortalecimento da agricultura camponesa e da alimentação saudável.

 

Em seu discurso, ao saudar as lideranças que participam do evento, o deputado João Daniel ressaltou a importância do Movimento Camponês Popular pelo trabalho que desenvolve no resgate e multiplicação das sementes crioulas. “Saudamos também o secretário de Agricultura do Estado do Sergipe, Esmeraldo Leal, que também participou da atividade, e todos os militantes do Movimento dos Trabalhadores Sem Terra, em nome de Fábio Andrei, da coordenação”, disse.

 

Segundo João Daniel, as sementes são patrimônio da humanidade e Sergipe já possui importantes legislações sobre o assunto, como a Lei das Sementes Crioulas e a Lei dos Sistemas Agroecológicos de Produção, esta de nossa autoria, já aprovada, faltando apenas a regulamentação. “No evento de ontem houve um consenso de que, apesar dos avanços, diversos desafios precisam ser identificados e superados, sobretudo pelo estado de exceção que o País vive depois do golpe e retrocessos que estão sendo impostos ao povo brasileiro. O desmonte do Estado e das políticas públicas, comprometendo a soberania nacional e o futuro do nosso povo principalmente os mais pobres”, disse.

 

Ele acrescentou ainda que, além da entrega do pré-sal, da emenda do Teto de Gastos, reforma trabalhista e terceirização, outros projetos, como a reforma da Previdência, o fim da rotulagem dos transgênicos, a mudança de nomenclatura dos agrotóxicos estão em andamento e são nocivos para a nossa sociedade como um todo. “A superação desta situação se dará por meio da mobilização popular, a realização de eleições diretas e o reestabelecimento da democracia”, ressaltou João Daniel.

 

Por Edjane Oliveira, da Assessoria de Imprensa

Fotos: Luiz Fernando