João Daniel parabeniza CRESS/SE por posicionamento contra ação autoritária


Aracaju, 07 de junho de 2017

 

 

O deputado federal João Daniel (PT/SE) registrou, em discurso na Câmara dos Deputados, a nota pública divulgada pelo Conselho Regional de Serviço Social em Sergipe (CRESS/SE) sobre a violação de direitos praticada pela Prefeitura de São Paulo contra as pessoas que viviam na região conhecida como “Cracolândia”. O parlamentar classificou o ato como uma ação autoritária.

 

“É um absurdo o que a Prefeitura de São Paulo fez de forma autoritária, usando o Estado e a força contra pobres, contra pessoas, para desfazer toda política social que havia, porque nós sabemos que as consequências dessa situação são fruto desse sistema que exclui as pessoas e, portanto, é um absurdo o que foi feito pelo prefeito de São Paulo”, disse.

 

João Daniel parabenizou a gestão do CRESS/SE e disse que é muito importante que todas as entidades, nesse momento de conjuntura difícil, coloquem publicamente de que lado estão. “E neste caso estão de lado das políticas públicas, dos pobres e daqueles que defendem as pessoas”, disse, ao tempo que repudiou a política autoritária do prefeito e governador de São Paulo pelo que fizeram contra seres humanos na Cracolândia.

 

Confira a seguir nota do CRESS/SE na íntegra:

 

CRESS/SE repudia violações de direitos na cracolândia em SP e reafirma seu compromisso com a defesa da política PÚBLICA de saúde mental e do tratamento humanizado de usuários de alcool e drogas

 

Diante das intervenções desumanas e marcadas pela concepção preconceituosa de “limpeza social” junto aos usuários de drogas pela prefeitura de São Paulo, o Conselho Regional de Serviço Social 18a. Região Sergipe – CRESS/SE manifesta publicamente seu repúdio a tais ações, que ferem a dignidade da pessoa humana e violam diversos pactos de defesa de Direitos Humanos dos quais o Brasil é signatário.

 

As ações truculentas do Prefeito João Dória (PSDB/SP) incluem a demolição de um imóvel ainda ocupado por três pessoas, a retirada à força – com tiros e bombas de gás lacrimogêneo – de  dependentes químicos do local conhecido como “cracolândia” e a ameaça de internação compulsória – forçada – dos indivíduos que, em extrema situação de vulnerabilidade, são desabrigados e usuários de drogas, majoritariamente de crack.

 

O cuidado de pessoas com transtorno mentais e usuários de Álcool e Drogas em liberdade é uma conquista de vários movimentos sociais que lutaram e lutam pela reconstrução da política de saúde mental, priorizando a autonomia, a política em rede, o fortalecimento de vínculos, a convivência familiar e comunitária e a concepção de que o indivíduo que sofre de transtorno mental e/ou é usuário de álcool e drogas é sujeito de direitos e cidadão.

 

Neste cenário de avanço desmedido do autoritarismo, O CRESS Sergipe não aceita esse tipo de afronta ao nosso projeto ético político, que é sustentado nos princípios da defesa da liberdade, da autonomia e da defesa intransigente dos Direitos Humanos. É nosso dever enquanto Assistente Social defender o projeto ético politico de nossa profissão e, portando, o CRESS Sergipe, enquanto entidade representativa da categoria, reafirma seu compromisso histórico com a luta antimanicomial e com o tratamento humanizado de usuários de alcool e drogas.

 

 

Conselho Regional de Serviço Social 18a. Região – Sergipe

Gestão “Vamos Lá Fazer o que Será” 2017-2020