João Daniel denuncia políticas de arrocho impostas pelo governo federal aos Estados para renegociarem dívidas


Aracaju, 19 de abril de 2017

 

Na sessão em que a maioria da Câmara rejeitou o requerimento que propunha retirar do texto as contrapartidas dos Estados para essa renegociação das dívidas com o governo federal, o deputado João Daniel (PT/SE) lamentou as políticas de arrocho que estão sendo impostas pelo governo federal aos Estados. Entre elas estão o congelamento de salários dos servidores públicos, venda de empresas estatais e aumento da contribuição previdenciária, para que os Estados que aderirem tenham a suspensão temporária do pagamento das dívidas.

 

O texto base do Projeto de Lei Complementar 343/17 foi aprovado na sessão da última terça-feira, dia 18. Segundo o deputado, com ele, o governo federal impõe condições que criam todo tipo de problema para os servidores públicos e para as políticas públicas. “Sergipe resistiu até no Governo FHC para manter o Banese, e mantém um banco que tem fundamental importância para o Estado de Sergipe e para os municípios”, disse.

 

Para ele, o que se percebe com essa lei é a força com que o Poder central, que não quer abrir mão de fazer a política daqueles que bancaram este Governo, que nasceu de um golpe, quer estar a serviço das grandes empresas. “Elas querem água, saneamento, os bancos estatais, as empresas de gás. Por isso, é importante e fundamental a pressão da sociedade para não aceitar e não deixar que os governos estaduais baixem a cabeça. Eu confio no nosso governador Jackson Barreto na luta em defesa das empresas estatais, em especial da Deso”, disse.

 

Por Edjane Oliveira, da Assessoria de Imprensa

Foto: Márcio Garcez