João Daniel defende eleições diretas como caminho para a escolha do novo presidente


Aracaju, 22 de maio de 2017

 

 

 

O deputado federal João Daniel (PT) participou do ato da Frente Brasil Popular (FBP) em Sergipe, realizado na manhã dessa segunda-feira, dia 22, no município de Estância. A mobilização teve a participação de movimentos sociais, trabalhadores, juventude, vereadores, representantes sindicais e ressaltou a importância de nesse momento político pelo qual passa o país exigir a saída do presidente e a realização de eleições diretas para a escolha do substituto. Para o deputado, nessas circunstâncias, essa é a única saída.

 

Em seu discurso, João Daniel lembrou a trajetória desse golpe, que se iniciou tão logo a presidenta Dilma foi reeleita em 2014, com a insatisfação da direita brasileira, sob o comando do senador Aécio Neves, derrotado no mesmo pleito, e pelas elites internacionais, que iniciaram um processo de desmonte do Brasil. A partir daí, a narrativa dos fatos mostra a saga para eleger Eduardo Cunha presidente da Câmara e, a partir de sua eleição, a implementação de um cronograma para não aprovar nenhum projeto e boicotar o governo da presidente Dilma e, assim, gerar uma crise política e econômica, causando desemprego e condições para a abertura do processo de impeachment, consumado dia 12 de maio em 2016 pelo Senado. “Nosso partido, a Frente Brasil Popular e todos os movimentos sociais denunciaram que eles não queriam apenas afastar a presidenta Dilma, mas o que queriam era impedir a possibilidade de o povo brasileiro continuar avançando nas conquistas e direitos sociais”, avaliou João Daniel.

 

Segundo ele, a partir disso, o que aconteceu foi o que eles planejavam. Primeiro foi a aprovação da PEC 55 (que reduziu os investimentos em serviços públicos básicos por 20 anos), depois o projeto da terceirização, a reforma Trabalhista e agora a reforma da Previdência, ainda não aprovada. “Graças às grandes mobilizações, à greve geral, a burguesia brasileira e a grande mídia não aceitam mais que o presidente golpista possa continuar, pois este é um governo sem nenhuma credibilidade e sem condições de permanecer à frente da Presidência da República”, acrescentou.

 

Eleições diretas

Na avaliação do deputado João Daniel, atos como esse realizado em Estância e outros que frequentemente têm sido feitos em Aracaju são importantes para mostrar que a população quer o afastamento desse presidente ilegítimo e a realização de eleições diretas. “Só com eleições diretas é que podemos eleger um novo presidente da República. Nós precisamos exigir que esse novo presidente possa convocar uma Constituinte Exclusiva, baseado nos interesses populares como o pedido que foi entregue em 2013 à presidenta Dilma, mas que o Congresso não aceitou, porque não queria essa consulta popular”.

João Daniel informou que nessa terça-feira está na pauta da Comissão de Constituição e Justiça da Câmara (CCJ) a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 227/16, que prevê a realização de eleições diretas em caso de vacância da Presidência da República. “Esta é uma emenda que autoriza a Câmara a aprovar eleições diretas e acreditamos que ela possa ser aprovada”, disse.

 

O deputado parabenizou todos que estão puxando esses atos em defesa da democracia e ressaltou que a população não pode ficar em casa, passiva, assistindo a grande imprensa procurando uma saída para esse momento. “A saída não virá do Supremo nem do Congresso. Só há uma solução, hoje, para o Brasil, que são as eleições diretas”, afirmou João Daniel.

 

Por Edjane Oliveira, da Assessoria de Imprensa

Fotos: Márcio Garcez