Greves e mobilizações pressionam saída de Pedro Parente da Petrobras, avalia João Daniel


Aracaju, 01 de junho de 2018

 

 

Depois de uma passagem desastrosa pela presidência da Petrobras, capitaneando uma política que tem resultado numa alta nunca antes vista nos preços dos combustíveis e do gás de cozinha, que resultou na greve dos caminhoneiros que parou o país e causou desabastecimento em todos os estados, nesta sexta-feira, dia 01, Pedro Parente pediu demissão. Sua saída, na avaliação do deputado federal João Lula Daniel (PT/SE) é importante, mas o grande problema está no projeto que o governo federal vem implementando desde o golpe, com a farsa do impeachment da presidenta Dilma Rousseff.

 

“Desde o golpe, este governo assumiu o compromisso contra um projeto de soberania nacional, a favor das grandes corporações nacionais e internacionais lideradas pelo pato amarelo, que é o projeto de retomada das privatizações de todos os setores estratégicos importantes para o Brasil, a exemplo da Petrobras, com o petróleo, do setor elétrico, dos minérios, da água e de todas as nossas riquezas”, disse o parlamentar.

 

Para João Daniel, a saída de Parente do comando da Petrobras é muito importante, mas não representa a derrota do golpe e do seu projeto. Representa, sim, uma vitória da greve dos caminhoneiros, da greve dos petroleiros e das mobilizações nacionais. “Precisamos derrotar todo este governo, fazer eleições livres com Lula candidato a Presidência da República, com libertação imediata de Lula, para retomar um grande projeto para o povo brasileiro e recuperação das empresas, a exemplo da Petrobras”, afirmou João Daniel.

 

Por Edjane Oliveira, da Assessoria de Imprensa