“É preciso devolver ao povo o direito ao voto direto”, defende João Daniel


Aracaju, 20 de junho de 2017

 

 

No plenário da Câmara, durante a sessão desta terça-feira, dia 20, o deputado federal João Daniel (PT/SE) voltou a defender a necessidade de o país realizar eleições diretas para eleger o novo Congresso Nacional e o novo presidente da República. Para o parlamentar, a cada dia que passa aumenta o grau da certeza de que o governo atual não tem mais nenhuma condição de continuar governando. “Não há como este Governo continuar governando. É preciso que haja um mínimo de compromisso com o Brasil. Não há maior compromisso, neste momento nacional, do que o presidente, que não se elegeu com o voto direto, reconhecer que o Brasil precisa voltar à democracia e ter eleições diretas”, afirmou.

 

Para o deputado, nesse atual cenário, não há nada mais importante do que o presidente Michel Temer reconhecer isso, pelas graves acusações que tem sido alvo. “Todas as apurações que estão sendo solicitadas vão se afirmando verdadeiras: é inquérito da Polícia Federal, são áudios… Portanto, não há mais nenhuma possibilidade de este Governo continuar governando”, ressaltou. Ele acrescentou que a manipulação da grande mídia foi fundamental para criar essa situação de desmonte total do Estado brasileiro e das políticas públicas, além da desmoralização e descrédito da política.

 

CCJ

Nesta terça-feira, a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara, da qual o deputado João Daniel é membro, esteve reunida para analisar a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 227/16, que trata sobre da realização de eleições diretas em caso de vacância do cargo de presidente da República antes dos seis últimos meses do mandato. O relator da matéria, deputado Espiridião Amin (PP/SC), chegou a ler seu voto, no qual conclui pela admissibilidade do texto. No entanto, o início da discussão da PEC foi adiado, diante do pedido de vista coletivo logo depois da leitura do relatório. A discussão só deve ser retomada depois do prazo de duas sessões no plenário.

 

Segundo o deputado João Daniel, o Brasil precisa retomar um grande projeto de debate nacional, reconhecendo que o Parlamento federal cometeu um grande erro, pela maioria dos parlamentares, quando, liderados por Aécio Neves, retiraram a presidenta Dilma Rousseff. “Para resolver este problema, é preciso devolver ao povo o direito ao voto direto para eleger o novo Congresso Nacional – Câmara e Senado – e o novo presidente da República”, disse, acrescentando que a cada dia esse governo aguarda para ver qual será a nova denúncia feita por aqueles que passaram a financiar as campanhas e a beneficiar seus grupos políticos que, ao longo da história, o desmontaram e o desmoralizaram.

 

João Daniel também repudiou o discurso de que todos têm compromisso com esses grupos. Ao contrário, ressaltou, o Partido dos Trabalhadores defende total apuração de todos os fatos e denúncias. “Nosso partido defende o direito de defesa de todos e todas que forem acusados e a punição dos culpados”, disse.

 

Além de novas eleições para a escolha de um novo presidente e do Congresso Nacional, o deputado João Daniel também defende que este novo presidente eleito democraticamente convoque uma grande Constituinte exclusiva para fazer uma verdadeira reforma política. “Uma reforma com amplo debate com o povo brasileiro, para resolver o que há de mais importante na vida e na Nação brasileira: a política ser feita por homens e mulheres que amam seu povo, sua Pátria, com compromisso nacional”, finalizou.

 

Por Edjane Oliveira, da Assessoria de Imprensa

Foto: Lúcio Bernardo Jr./Câmara dos Deputados