Diretas já: João Daniel denuncia manobra para impedir votação da PEC 227 na CCJ


Aracaju, 23 de maio de 2017

 

 

 

O deputado federal João Daniel (PT/SE) lamentou a manobra da bancada aliada ao presidente Michel Temer para inviabilizar a realização da reunião da Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) da Câmara. O colegiado estava reunido na tarde desta terça-feira, dia 23, para votar a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 227, que prevê a realização de eleições diretas em caso de vacância da Presidência da República. A reunião teve que ser suspensa depois que o presidente da Casa, deputado Rodrigo Maia (DEM/RJ), iniciou a ordem do dia, no plenário, mesmo sem quórum, o que obrigou a suspensão de todas as comissões. Todos os membros da bancada do PT desde cedo estavam presentes à reunião da CCJ para garantir o quórum necessário.

 

João Daniel defende a renúncia do presidente Michel Temer e a realização de eleições diretas como a saída para o país nesse momento de crise política que vive, envolvendo o atual ocupante da presidência da República. Na avaliação do parlamentar a PEC 227 precisa ser votada urgentemente. “Nossa bancada e os demais partidos que lutam pela democracia querem a votação urgente da PEC 227, que já teve parecer do relator pela sua admissibilidade”, destacou.

 

De autoria do deputado Miro Teixeira, a Proposta de Emenda à Constituição 227 permite a realização de eleições diretas para Presidência da República em caso de vacância do titular. Para o deputado, o país precisa de eleições diretas já, pois esse governo não tem mais condições nenhuma de continuar governando. “Acabou o governo golpista de Michel Temer. É preciso que sejam feitas eleições diretas já. As grandes mobilizações estão acontecendo. Amanhã Brasília terá, novamente, um dos maiores atos desse país, dizendo não à reforma Trabalhista e à reforma da Previdência e exigindo eleições diretas já e fora Temer”, disse João Daniel.

 

Por Edjane Oliveira, da Assessoria de Imprensa

Foto: Márcio Garcez