Deputados petistas querem a convocação dos ministros da Agricultura e Justiça para esclarecimentos na Comissão de Agricultura


Aracaju, 29 de março de 2017

Pela liderança do Partido dos Trabalhadores na Comissão de Agricultura, Pecuária, Abastecimento e Desenvolvimento Rural da Câmara, o deputado federal João Daniel (PT/SE) leu e defendeu, durante a reunião dessa quarta-feira, dia 29, a aprovação de dois requerimentos que pedem a convocação dos ministros da Agricultura, Blairo Maggi, e o da Justiça, Osmar Serraglio, para prestar esclarecimentos sobre as denúncias feitas pela Polícia Federal na chamada Operação Carne Fraca. O parlamentar ressaltou que não existe interesse em fazer oposição a esse governo, “até porque ele já acabou”, mas o objetivo é tratar esse assunto que se tornou um problema real para o país.

 

Os requerimentos foram apresentados pelo próprio João Daniel (convocando o ministro da Agricultura) e pelo deputado Marcon (PT/RS), que convoca o ministro da Justiça. “Há um problema concreto, real, que a Comissão de Agricultura precisa tratar. Esse assunto colocou o Brasil em destaque e vai gerar um grande desemprego e um desmonte da nossa cadeia produtiva da carne”, ressaltou.

 

No requerimento apresentado pelo deputado João Daniel há a solicitação da convocação do ministro Blairo Maggi, da Agricultura, para que ele possa tratar da questão dos servidores do Ministério na chamada operação Carne Fraca, da Polícia Federal, que teria desmontado um esquema envolvendo servidores que teriam recebido propina para liberação de produtos de frigoríficos nacionais. Para o parlamentar, essa é uma situação muito grave e essas suspeitas sobre a carne brasileira geradas por essa operação arranharam a imagem do Brasil no exterior e podem resultar em prejuízos de valores estratosféricos, causando desempregos em toda cadeia produtiva da carne e seus derivados.

 

Também com base na constituição e no regimento interno da Câmara, o requerimento do deputado Marcon pede a convocação do ministro da Justiça, para prestar esclarecimento sobre as revelações originárias das interceptações da Polícia Federal de que o ministro teria tido participação direta nas irregularidades constatadas no Sistema de Inspeção Federal (SIF) que resultaram na Operação Carne Fraca.

 

“Estamos convocando os ministros para que possamos saber o que está ocorrendo e quais as providências que o governo federal está tomando. Não há motivo nenhum para eles deixarem de vir. É vir, explicar, detalhar, dizer o que houve e as providências adotadas”, disse, ao lembrar que o requerimento não entrou em votação, mas esse é um assunto fundamental que precisa ser esclarecido o mais rápido possível. Para ele, as convocações são uma oportunidade de defesa dos ministros.

 

João Daniel ressaltou que ninguém quer criar problema nenhum para esse governo, “até porque esse governo não tem sentido nenhum. O que estamos fazendo nesse momento é a defesa do Brasil. Está em curso um desmonte de um projeto nacional. O desmonte da Petrobras pela Operação Lava Jato, está curso o desmonte da nossa cadeia produtiva da carne. Ou se esclarece isso e separa o que é denúncia ou vamos detonar com esse setor que emprega milhões de trabalhadores, direta e indiretamente”, disse.

 

Para ele, é necessário que os ministros estejam abertos fazer esse esclarecimento, dizer quais são as providências que estão sendo tomadas, os funcionários suspeitos que foram afastados e, caso comprovadas irregularidades, sejam demitidos e utilizados os rigores da lei. “Mas deve ser dado todo direito de defesa. Acreditamos e confiamos na Polícia Federal, mas ao mesmo tempo percebemos que certas operações que foram feitas na Lava Jato, tanto por parte do Judiciário e Polícia Federal, tinham muitos interesses políticos para atingir o governo Dilma e o ex-presidente Lula e a economia brasileira para gerar desemprego”, observou.

 

Por Edjane Oliveira, da Assessoria de Imprensa

Foto: Márcio Garcez