Deputado João Daniel participa de protesto contra a venda da Eletrobras


Aracaju, 21 de março de 2018

 

 

 

O deputado federal João Daniel (PT) participou, na manhã desta quarta-feira, dia 21, da mobilização dos trabalhadores do setor elétrico e de diversos movimentos sociais que participam do Fórum Alternativo Mundial da Água (FAMA) em defesa da Eletrobras e da Companhia Hidrelétrica do São Francisco (Chesf). A mobilização foi organizada pelas entidades do setor elétrico e dos movimentos sociais do campo e da cidade, reunindo mais de 500 pessoas que protestaram contra a privatização da Chesf e da Eletrobras, em uma ação que vem sendo desenvolvida pelo governo golpista de dilapidação do patrimônio público brasileiro e do nosso meio ambiente.

 

Entre as várias lideranças nacionais presentes, estavam o presidente da Federação Nacional dos Urbanitários (FNU), Pedro Blois; a diretora do Coletivo Nacional os Eletricitários, Fabíola Antezana; o presidente do Sindisan/SE, Silvio Sá, e seu diretor, o companheiro Tupi; o deputado Nilto Tatto (PT/SP) e várias lideranças que têm a responsabilidade de romper com este ciclo de maldades que estamos vivendo e que continuando provocará o maior prejuízo para a economia brasileira e a maior desgraça para seu povo.

 

João Daniel falou da sua luta em defesa da Chesf e da Eletrobras, lembrando da sua luta junto às entidades sociais e sindicais contra o desmonte do estado brasileiro, contra a onda de violência que vem crescendo no país pós-golpe, com o desemprego que aumenta de forma acelerada com a venda do pré-sal, com a renúncia fiscal de mais de R$ 1 trilhão para as empresas petrolíferas estrangeiras que promoverá muito mais desemprego.

 

“Querem doar a Eletrobras e a Chesf e quem mais sofrerá é o povo brasileiro com o aumento do preço da energia elétrica e com os cortes em investimentos sociais e a suspensão de programas de universalização dos serviços, como o Luz para Todos”, observou o deputado.

 

João Daniel concluiu parabenizando todos os movimentos que assumem esta luta, destacando o Coletivo Nacional dos Eletricitários, o Movimento dos Atingidos por Barragem (MAB), o Movimento dos Pequenos Agricultores (MPA), o Movimento dos Trabalhadores sem Terra (MST) e os demais movimentos que fazem o Campo Unitário.