Contra a intolerância: João Daniel participa de audiência na Comissão de Direitos Humanos


Aracaju, 27 de setembro de 2017

 

 

Na tarde desta quarta-feira, dia 27, o deputado federal João Daniel (PT) participou de audiência pública na Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara que debateu sobre o crescimento dos casos de intolerância religiosa no Brasil. A audiência foi uma iniciativa do deputado Luiz Couto (PT-PB), com o objetivo de denunciar e promover a reflexão sobre essa violação de direitos humanos, entender suas motivações, além de abrir espaços para o diálogo inter-religioso.

 

O deputado João Daniel fez questão de parabenizar a realização desse debate, principalmente diante do cenário que o país tem vivido, “onde estamos vendo a força do fascismo de direita que é usada nesses microfones, vergonhosamente, fruto de uma força que foi ganhando espaço, combatendo e foi trazendo ódio para dentro desta Casa, e o ódio ganhou força”, disse. Para ele, essa situação só pode ser combatida se mostrando o outro lado, como se propôs o debate realizado na Comissão de Direitos Humanos, para que as pessoas possam conhecer. Ele lembrou que o início do desastre de uma sociedade é quando a verdade passa a não valer mais e a mentira passa a ser imposta e o ódio passa a ter força.

 

Na oportunidade, João Daniel sugeriu que esse debate fosse realizado de maneira ampla por todo Brasil, para que esse debate aberto chegasse ao máximo de pessoas, para que a imprensa pudesse divulgar, as pessoas tenham conhecimento e também sejam denunciados os casos de ódio e intolerância que estão ocorrendo com muita força pelo país. A audiência contou com a participação de representantes do Comitê Nacional de Respeito à Diversidade Religiosa do Ministério dos Direitos Humanos, a secretária executiva do Conselho Nacional das Igrejas Cristãs, Romi Márcia Bancke; babalorixá e coordenador da Comissão de Combate à Intolerância Religiosa, Ivanir dos Santos; a  historiadora, pesquisadora de relações de gênero e relações raciais, ex-conselheira do Conselho Nacional dos Direitos da Mulher, Wania Sant’Anna; Perly Cipriano, pioneiro na criação de políticas públicas de promoção da diversidade religiosa e combate à intolerância religiosa, entre outras lideranças religiosas.

 

Por Edjane Oliveira, da Assessoria de Imprensa