Tradição: João Lula Daniel destaca realização do Casamento do Matuto e do Festival da Mandioca


Aracaju, 19 de junho de 2018

 

 

Curso de culinária usando a mandioca como ingrediente principal também faz parte do Festival

Em nome da manutenção das festas tradicionais e populares de Sergipe, o deputado federal João Lula Daniel, em plenária realizada na Câmara Federal, durante a tarde de hoje, dia 19, registrou a realização de dois tradicionais eventos do ciclo junino sergipano: o 50º Casamento do Matuto, ocorrido no último sábado, dia 16, na cidade de Aquidabã, e o Festival da Mandioca, que será realizado no município de Lagarto, do dia 19 ao dia 24 de junho.

 

O Casamento do Matuto, em Aquidabã, é um evento tradicional que acontece desde o início da década de 1960, idealizado pelo companheiro Marciano da Silva Dias (Ciano), que até hoje, com seus 85 anos, participa da organização desta grande festa, que foi projetada a partir da fundação da Associação Lítero-recreativa Cassiano Aquidabã, o Clube Social de Aquidabã, no qual Ciano atua como presidente. Diante do histórico de Ciano como organizador e incentivador desta grande festa, o deputado destinou parte do seu discurso para homenageá-lo.

 

Casamento do Matuto de Aquidabã chega a sua 50ª edição

“Queremos prestar uma merecida homenagem ao senhor Marciano. Ciano é precursor e o fundador dessa festa e a história do Casamento do Matuto de Aquidabã se deve à Associação Lítero-recreativa Cassiano Aquidabã dos bons tempos dos bailes das festas de Aquidabã, da Festa de Reis, da Nossa Senhora de Santana. Assim, queremos parabenizar e homenagear todos que fazem o Casamento do Matuto, o Ciano, os organizadores e Dr. João Feitosa, os artistas, os cavaleiros e amazonas e dizer que o Casamento do Matuto de Aquidabã orgulha e engrandece o município e o estado de Sergipe”, disse João Daniel.

 

Sobre o Festival da Mandioca, o parlamentar sergipano destacou a importância da realização deste evento no fomento da cultura e da cadeia produtiva do município de Lagarto em torno da mandioca. O evento está na sua 6ª edição e em sua programação são realizados cursos de culinária ligados exclusivamente à mandioca, com o aproveitamento da folha para fazer maniçoba e a manipueira para o combate às pragas. São realizadas palestras com agricultores, reuniões com os donos de casas de farinha. É uma semana trabalhando com os agricultores no Centro Referência do Trabalhador (CEREST) diretamente com os produtos da mandioca.

 

“Dentro desta perspectiva, o festival vem tanto para a agricultura familiar quanto para movimentar a economia da cidade dentro das festas juninas. Ressalto a importância desse trabalho do prefeito Valmir Monteiro, do ex-secretário de Agricultura, atual secretário adjunto da prefeitura, Antônio Carlos Nogueira, o atual secretário de Agricultura e Meio Ambiente, Flamarion Déda, e toda a população de Lagarto, em especial os produtores de mandioca e donos de casa de farinha. Lagarto é o maior produtor de mandioca do estado de Sergipe”, destacou o deputado.

 

Participam do Festival da Mandioca a Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Agricultura, a Secretaria de Educação, a Secretaria de Saúde e a Prefeitura Municipal de Lagarto, o Banco do Nordeste, o Banese, o Sindicato dos Trabalhadores Rurais, os movimentos sociais do campo, incluindo o MST e o MCP. “Queremos ressaltar e valorizar o trabalho de todos os 119 povoados, comunidades e assentamentos envolvidos nesse importante trabalho”, finaliza Daniel.

 

Por Whagner Alcântara, da Assessoria

Foto: Prefeitura de Lagarto