Situação da citricultura sergipana e medidas para solucionar os problemas serão debatidas em seminário


Aracaju, 3 de novembro de 2015

 

 Quarto produtor de citros do Brasil, Sergipe tem hoje uma citricultura que passa por um período de dificuldades. Alguns motivos têm contribuído para isso – como a saturação de mercado, seca, produtividade e longevidade dos pomares e a situação dos pequenos produtores, sem condições de investir em tecnologias de produção. Além disso, os produtores vivem atualmente outro problema preocupante: a mosca negra.

 

Para discutir essa situação e debater as medidas para sanar os problemas no Estado de Sergipe”, na próxima sexta-feira, dia 6, será realizado um seminário, através da Comissão de Agricultura, Pecuária, Abastecimento e Desenvolvimento Rural (CAPADR) da Câmara dos Deputados, a partir de requerimento apresentado pelo deputado federal João Daniel (PT/SE). O evento acontece, a partir das 9 horas, no Sindicato dos Trabalhadores Rurais do município de Umbaúba.

 

Para o deputado, é de extrema importância que esse tema seja debatido e possam ser encaminhadas soluções, a partir de relato de quem está no dia a dia vivenciando essas dificuldades: os próprios produtores. Para isso, foram convidados a Federação dos Trabalhadores na Agricultura do Estado de Sergipe (Fetase); Empresa de Desenvolvimento Agropecuário de Sergipe (Emdagro) Polo sindical; Território Centro Sul; Movimento Camponês Popular (MCP); Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST); Cooperativa Mista dos Agricultores do Treze (Coopertreze).

 

Participarão também do seminário representantes da Superintendência do Ministério da Agricultura em Sergipe; Secretaria de Estado e Municipais de Agricultura; Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa); representantes das indústrias cítricas; além do Banco do Brasil; Banco do Nordeste; e Banco Estado de Sergipe (Banese).

 

“Apesar de Sergipe ser um importante produtor de laranja em nível nacional, temos visto que os produtores têm sofrido com vários problemas na cadeia produtiva e agora, mais recentemente, a questão da mosca negra. Por isso apresentamos esse requerimento na Comissão de Agricultura da Câmara para que pudéssemos debater e encontrar solução, juntos, para que essa cultura possa ser revitalizada em nosso Estado”, afirmou o deputado João Daniel.

 

De acordo com informações da Embrapa, divulgadas em janeiro deste ano, Sergipe é considerado, em nível nacional, o quarto produtor de citros, com uma produção de aproximadamente 840 mil toneladas de frutos, sendo a maior quantidade de laranjas, com 822 mil toneladas em 56,3 mil hectares. Em seguida vêm limão, com 11 mil toneladas em 857 hectares, e tangerinas, com 6,5 mil toneladas em 420 hectares. A cultura do citros se destaca como um dos principais produtos agrícolas de Sergipe, ao redor de 3,0% do PIB, sendo o suco o principal produto exportado.

 

Os pomares dessa produção estão concentrados, predominantemente, no Sul do Estado, compreendendo os municípios de Arauá, Boquim, Cristinápolis, Estância, Indiaroba, Itaporanga d’ajuda, Itabaianinha (principal produtor), Lagarto, Pedrinhas, Riachão do Dantas, Salgado, Tomar do Geru, Umbaúba e Santa Luzia do Itanhy.

 

Por Edjane Oliveira, da Assessoria de Imprensa