Segurança alimentar: João Daniel destaca realização da 4ª Conferência Estadual


Aracaju, 3 de setembro de 2015

João Daniel registrou na Câmara dos Deputados a 4ª Conferência Estadual de Segurança Alimentar do Estado de Sergipe, que aconteceu nos dias 2 e 3 de setembro, em Aracaju. O parlamentar ressaltou a importância desse evento que luta pela ampliação e o fortalecimento dos compromissos políticos com a promoção da soberania alimentar. Ele parabenizou o Governo de Sergipe, através do governador Jackson Barreto e da secretária de Inclusão, Marta Leão, e também o presidente do Conselho Estadual de Segurança Alimentar, Gil Marcos Carvalho, pelo trabalho realizado no Consea.

 

Mais de 400 pessoas participam dos debates que giraram em torno dessa questão fundamental para o Brasil. Esse ano, a Conferência teve como lema “Comida de verdade no campo e na cidade: por direitos e soberania alimentar” e teve a participação de Maria Fernanda Moratori, do Ministério da Saúde. Representantes da sociedade civil e dos governos estadual e municipais também participaram. Em comum, o objetivo de garantir a todos os cidadãos o direito humano a uma alimentação adequada e saudável.

 

Para isso, os debates seguiram orientados pelos seguintes eixos temáticos: 1– Comida de verdade: avanços e obstáculos para a conquista da alimentação adequada e saudável e da soberania alimentar; 2 – Dinâmicas em curso, escolhas estratégicas e alcances da política pública; 3 –Fortalecimento do Sistema Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional. “É fundamental registrar que esta 4ª Conferência foi antecedida das oito pré-conferências territoriais, das quais participaram diversos segmentos da sociedade e representantes da esfera governamental, que indicaram os delegados para representar todos os territórios na Conferência Estadual”, destacou João Daniel.

 

Segundo o deputado, as principais propostas aprovadas nas etapas regionais foram: fundação do Conselho de Segurança Alimentar e adesão ao Sistema Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional (Sisan); criação da Semana de Alimentar nas escolas de todo o Estado; fortalecimento das secretarias de agricultura dos municípios; e criação de consórcios de matadouros territoriais.

 

“Neste momento histórico em que podemos nos orgulhar pelo fato de o Brasil ter saído do mapa da fome, de acordo com informações oficiais divulgadas pela Organização das Nações Unidas, temos certeza de que os esforços despendidos pelos participantes desse processo, em todas as etapas, contribuirão de forma significativa para que as reflexões tenham como desdobramento a construção de proposições que viabilizem, como uma conquista definitiva, o direito de todos os brasileiros e brasileiras a uma alimentação adequada e saudável”, frisou João Daniel.

 

Por Edjane Oliveira, da Assessoria de Imprensa

Foto: Ascom/SEIDH