Perdas: João Daniel defende ações emergenciais para atender pequeno produtor atingido pela seca


 Aracaju, 17 de agosto de 2016

 

 

Reunião do Território Sertão Ocidental

A ocorrência de chuvas bem abaixo da média esperada para esse período do ano tem feito muitos pequenos agricultores perderam o que haviam plantado. Na região do Alto e Médio Sertão e Sertão Ocidental sergipano se tem visto essa situação de forma mais intensa. Nos últimos dois dias, o mandato do deputado federal João Daniel (PT) e o próprio parlamentar participaram da reunião de avaliação e planejamento do Colegiado do Território Sertão Ocidental, realizado no Centro de Formação dos Pequenos Agricultores, em Simão Dias, e a seca foi, justamente, uma das questões mais discutidas.

 

João Daniel viajou, nesta quarta-feira, dia 17, por algumas localidades do município e pode constatar essa situação. Segundo o parlamentar, esse ano terá uma das piores secas da história de Sergipe. “E nessa região de Simão Dias a pior dos últimos 17 anos. O Assentamento 8 de Outubro, por exemplo, que nunca perdeu uma safra, esse ano está praticamente com 100% de perda da safra geral”, destacou o deputado.

 

Na avaliação do parlamentar, essa é uma situação muito difícil em toda região. João Daniel informou que, atendendo a uma solicitação do Território, o mandato realizará um seminário para discutir uma pauta urgente para a região. Entre os pontos estará a autorização pelos bancos, das áreas afetadas, para que as instituições façam a análise imediata das perdas para o aproveitamento do que sobrou para a forragem. “Porque, se o banco não autorizar, o pequeno agricultor não pode tirar essa produção que sobrou e aproveitar para a forragem, já que, se tirar, o banco não reconhece como perda e o produtor perde o seguro. É preciso discutir ações emergenciais para essas regiões”, afirmou João Daniel.

 

O deputado reafirmou sua preocupação com essa situação da seca, que já vem acompanhando há algum tempo, pois tem atingido várias regiões do Estado. Na última segunda-feira ele esteve na região do Alto Sertão, hoje no Sertão Ocidental e tem se deparado sempre com o mesmo cenário. “Temos visto isso no Estado inteiro. É, realmente, uma situação preocupante”, declarou.

 

Por Edjane Oliveira, da Assessoria de Imprensa

Fotos: Márcio Garcez