Para João Daniel, elite conservadora não aceita participação popular defendida por Dilma


Aracaju, 15 de junho de 2016

 

O deputado João Daniel (PT/SE) destacou a entrevista concedida pela presidenta Dilma Rousseff, ao jornalista Luís Nassif, e transmitida pela TV Brasil, há alguns dias, quando defendeu a ideia de um grande encontro com o povo brasileiro, após uma vitória no Senado no processo que a afastou da Presidência da República. Segundo o parlamentar, esse encontro poderia ser um plebiscito ou referendo, como sinaliza a presidenta, para que seja eleita uma Assembleia Constituinte exclusiva para a realização da reforma política.

 

No entanto, destacou João Daniel, apesar da grande repercussão da entrevista de Dilma nos editoriais dos grandes jornais do país, há uma reação contrária da grande mídia conservadora e da elite brasileira que não aceita a participação popular. Na avaliação do deputado, é essa grande mídia que dá linha para a Câmara e hoje é o grande partido brasileiro. “Essa reação contrária só tem um sentido: a elite brasileira, conservadora e coordenadora da grande mídia nunca aceitou a participação popular. Nunca quis participação popular”, disse.

 

Para ele, está na hora de a Câmara e a sociedade brasileira retomarem um grande projeto para o Brasil. “A presidenta Dilma sinaliza um grande plebiscito nacional para eleger uma Constituinte exclusiva para fazer a grande reforma política e a partir dessa grande reforma, com a mudança do Congresso Nacional, nós poderemos fazer outras importantes reformas estruturais em nosso país”, afirmou João Daniel.

 

Por Edjane Oliveira, da Assessoria de Imprensa