Para João Daniel, atos contra a terceirização levaram a adiamento da votação


Aracaju, 16 de abril de 2015

Na sessão desta quinta-feira, dia 16, o deputado federal João Daniel (PT/SE), utilizou a tribuna da Câmara para ressaltar a importância das mobilizações sociais realizadas no dia de ontem em todos os Estados contra o projeto de lei 4.330, que trata da regulamentação da terceirização. Ele parabenizou as centrais sindicais pela mobilização, notadamente a Central Única do Trabalho (CUT), que resultou em atos pacíficos pelo país.

 

O deputado disse ter certeza que graças a esse legítimo movimento a Câmara dos Deputados adiou a votação desse projeto que, para ele, sem sombra de dúvida, se for aprovado da maneira em que foi concebido, vai ferir de morte as conquistas dos trabalhadores brasileiros conquistados com muita luta ao longo de mais de 60 anos.

“Isso mostra que a pressão da sociedade e dos movimentos organizados, indo pra rua, pode mudar a direção dos trabalhos dessa Casa que tem seguido um viés conservador”, disse.

 

João Daniel acrescentou que não se pode retroceder nos avanços e conquistas do povo brasileiro. “E o Congresso só escuta quando o povo vai pra rua e precisamos saber que o movimento contra a terceirização é um movimento legítimo”, afirmou. Ele acrescentou que a CUT tem legitimidade e por isso parabenizava a central e conclamava os trabalhadores para que não baixem a guarda e continuem a mobilização, para garantir que esse processo seja feito com diálogo e com garantias de nenhum direito seja dos nossos trabalhadores seja perdido.

 

“Temos, sim, é que garantir terceirizados de hoje tenham as mesmas garantias trabalhistas, previdências e de saúde que os empregados formais, temos que votar as 40 horas semanais, temos é que dar mais tempo aos nossos trabalhadores para ficarem com suas famílias, estudarem e se qualificarem, enfim precisamos avançar e não retroceder. Por isso continuaremos contra o projeto de Lei da Terceirização”, afirmou.

 

Por Edjane Oliveira, da Assessoria de Imprensa

Foto: Ascom deputada Ana Lúcia