MPs que possibilitam privatizações e retiram direitos são pagamentos do golpe, diz João Daniel


Aracaju, 29 de agosto de 2016

Na tarde em que a presidenta Dilma Rousseff respondia às perguntas dos senadores durante o julgamento do processo de impeachment, na Câmara os deputados debatiam a Medida Provisória 727/16, que cria o Programa de Parcerias de Investimentos (PPI). Na avaliação do deputado João Daniel (PT/SE), essa MP e as outras que se encontram na pauta para serem debatidas e votadas pelo plenário do legislativo federal têm tudo a ver com o que acontecia no Senado. Para ele, as medidas são parte do pagamento pela conta do golpe. A Medida Provisória 727 é a abertura para as privatizações no país. Ela cria o PPI para execução de empreendimentos públicos de infraestrutura e de outras medidas de privatização.

 

“Aqui começa a se votar o que tem que se pagar pela conta do acordo planejado pela Fiesp, por Eduardo Cunha e pelas grandes corporações internacionais”, declarou João Daniel, em discurso na sessão desta segunda-feira, dia 29. Segundo ele, esse governo interino não representa a burguesia brasileira, mas, sim, os setores conservadores que querem utilizar o Estado para que se viabilize o negócio da iniciativa privada, aquelas empresas mais gananciosas que agem e exigem a privatização das nossas empresas. “Aquelas que se alinharam às grandes corporações internacionais que vivem no Brasil para tirar o suor e o sangue da classe trabalhadora, mas que vai fazer suas compras nos shoppings de Miami e assistir teatro em Paris e essa Nação só serve para acumular lucros e riqueza”, afirmou o parlamentar.

 

Para o deputado João Daniel, a MP 727, assim como outras previstas, é parte da dívida do golpe, que precisa ser pago com leis que retirem direitos, enfraqueçam o Estado e acabem com as políticas públicas. “Estou vendo a presidenta Dilma mostrando, mais uma vez, a altura de uma mulher gigante, honrada, de uma conduta séria e uma nacionalista como poucos homens e mulheres tiveram. Hoje ela, lamentavelmente, teve que dar uma aula para desmontar a mentira e a farsa que foram feitas sobre esse processo golpista de impeachment. Os senadores que votarem pelo impeachment, a favor do golpe, contarão sua história para netos e bisnetos que traíram a Nação, a Pátria brasileira”, frisou.

 

Por Edjane Oliveira, da Assessoria de Imprensa

Foto: PT na Câmara