João Daniel se reúne com liderança da Via Campesina na Turquia


 

Aracaju, 22 de abril de 2016

 

De passagem por Sergipe em sua viagem ao Brasil para conhecer a experiência das famílias daqui na luta pela terra, o presidente da Confederação dos Sindicatos de Pequenos Agricultores da Turquia e representante da Via Camponesa naquele país, Abdullah Aysu, esteve reunido com o deputado federal João Daniel (PT), nesta sexta-feira, dia 22. Aqui no Estado Aysu encerrou a fase de trabalho de campo do livro que está escrevendo sobre a luta pela terra. Além de Sergipe, nessa vinda ao Brasil ele passou pelos estados do Pará e São Paulo, onde conheceu um pouco mais da experiência da luta pela terra sem a utilização de armas.

 

“Para nós é uma satisfação receber Abdullah Aysu, a maior liderança popular da Turquia e representante da Via Campesina, que veio conhecer um pouco mais desse trabalho aqui no Brasil. Foi uma troca de conhecimentos interessante, pois pudemos também debater as semelhanças e diferenças do momento político e social vivido pela Turquia e o Brasil”, destacou João Daniel. Abdullah veio acompanhado do jovem Umut Kocagöz, da organização Çiftçi-Sen.

 

A Turquia possui hoje sete Sindicatos de Pequenos Agricultores congregados à Confederação que é dirigida por Abdullah Aysu, que desde o ano de 2004 é o representante da Via Campesina naquele país. Segundo ele, atualmente 24% dos cerca de 78 milhões de habitantes da Turquia estão na zona rural. Depois de passar por diferentes golpes, o país ainda sofre com a concentração de terra na mão de grandes proprietários.

 

“Não temos lá grandes latifundiários como temos no Brasil, mas a maior parte das terras está nas mãos de grandes proprietários”, disse Abdullah. Ele acrescentou que hoje o país vive uma ditadura civil, onde, infelizmente, as leis e a Constituição não são respeitadas e que também não permite ainda a distribuição de terras entre as famílias camponesas como deveria ser. E é justamente a tarefa de organizar essas famílias na luta pela terra o papel da Confederação que ele preside.

 

Aysu revelou que uma das partes do livro que está escrevendo – e que tem intenção de concluir até dezembro – tratará sobre a representação parlamentar que, no Brasil, tem o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST). Lá na Turquia, informou ele, são 21 parlamentares ligados aos movimentos sociais.