João Daniel registra reivindicações de famílias do acampamento Porto da Lagoa


Click para ampliarUma comissão de famílias do acampamento Porto da Lagoa, localizado no município de Estância, esteve na Assembleia Legislativa durante a sessão desta quarta-feira, dia 25. O deputado João Daniel (PT) registrou a presença dos trabalhadores e as reivindicações que estão presentes na pauta das famílias que há 13 anos estão na luta. “São famílias que vivem numa região bastante sofrida”, disse o parlamentar.

Segundo o deputado João Daniel, entre os itens da pauta está a luta pela posse da fazenda onde vivem as famílias que vem sendo travada junto ao governo federal e estadual, para que encontrem uma solução para isso. “Outra questão é a estrada que envolve vários povoados. A famílias de pescadores, marisqueiras e catadoras de mangaba estão sofrendo pela falta de uma estrada com condições, pois a que liga o município de Estância ao Porto da Lagoa está precisando urgente de uma recuperação”, registrou.

Entre as reivindicações das famílias do acampamento Porto da Lagoa está a vistoria da área pelo Incra, considerando o grande potencial extrativista, com pesca, criação de ostra, catação de aratu, sururu e ostra. Como não podem colocar energia, não têm onde guardar o pescado e mariscos e assim têm que entregar aos atravessadores por um preço muito baixo. A estimativa é que, por dia, nessa região sejam catados cerca de 400 quilos de sururu, fora peixe, aratu e ostra.

As famílias também reivindicam a recuperação da estrada, pois quando chove fica intransitável, prejudicando a ida dos alunos para a escola, pois o ônibus não entra e perdem o marisco e peixe, pois não têm como levar para vender em Estância. Essa rodovia atende, além do acampamento, os povoados Tibúrcio, Farnaval, Maculanduba, Roseli Nunes, Ouriciri, Rua Nova, Ribeira, Aleixo e Timbó, num total de mais de 400 famílias.

João Daniel parabenizou as 55 famílias desse acampamento e informou que já levou à Superintendência do Incra a situação desse acampamento e irá falar também com o governo do Estado, na tentativa de encontrar uma solução para essa questão.

Edjane Oliveira, da Assessoria de Imprensa