João Daniel participa de audiência e leva solidariedade a dirigente do MST preso


Aracaju, 02 de junho de 2016

Comissão é recebida por desembargador de justiça de Goiás

O deputado João Daniel (PT/SE) participou de audiência com o desembargador do Tribunal de Justiça de Goiás Ivo Savaro, relator do caso dos integrantes do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) presos naquele Estado, Luiz Batista Borges e José Valdir Misnerovicz. Também estiveram presentes à audiência o representante da Comissão de Direitos Humanos da Câmara, deputado Paulo Pimenta (PT/RS); o ex-presidente nacional da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Marcelo Lavenère; pastorais da CNBB, representadas por Dom Guilherme Antônio Werlang; a professora de Direito Penal da Universidade de Brasília (UnB), Beatriz Vargas; além de representantes de vários movimentos sociais e populares, entre eles o presidente da CUT/GO, Mauro Rubens, e advogados, entre outros.

 

Ato em frente ao TJ/GO

O objetivo da audiência foi sensibilizar o Judiciário de Goiás e buscar o apoio no sentido de que esse caso seja analisado com atenção, pois se trata de uma tentativa de criminalização de lideranças de movimentos sociais e populares. “Levamos nossa preocupação que nessa conjuntura instalada no país se abra um precedente para iniciar a criminalização das lideranças e movimentos”, acrescentou o deputado João Daniel. Ele informou que o desembargador do TJ/GO ouviu com atenção a comissão, que saiu bastante otimista. A previsão é que o primeiro habeas corpus fosse julgado ainda na tarde desta quinta-feira.

 

João Daniel e Paulo Pimenta visitam o companheiro Valdir

Logo após a audiência com o desembargador, o grupo participou de um ato em frente ao Tribunal de Justiça com todos os movimentos e em seguida foi até a delegacia para onde foi conduzido o Valdir Misnerovicz, preso na última terça-feira, em Veranópolis (RS). João Daniel ressalta que Valdir é um dirigente nacional do MST, trabalhador rural, formado em Geografia pela Universidade Federal de Goiás e com mestrado na área. “Fomos levar nossa solidariedade ao companheiro neste momento em que lutamos contra essa injustiça e pudemos conversar com ele que está firme e forte nesta luta contra a tentativa de criminalização dos movimentos populares”, disse João Daniel.

 

Por Edjane Oliveira, da Assessoria de Imprensa

Fotos: Márcio Garcez