João Daniel participa da entrega assinaturas por uma reforma política democrática


Aracaju, 21 de maio de 2015

O deputado federal João Daniel (PT/SE) participou do ato de entrega das assinaturas recolhidas em todo país para o projeto de lei de iniciativa popular sobre a reforma política democrática e com participação da sociedade. Representantes de entidades, movimentos sociais e de partidos que aprovam essa proposta entregaram à Câmara dos Deputados, na última quarta-feira, dia 20, as 650 mil assinaturas coletadas que defendem uma reforma política que tem como objetivo principal o fortaleça a democracia participativa.

 

Essa proposta apoia, entre outros pontos, o fim do financiamento privado a campanhas eleitorais, fortalecimento dos partidos políticos, ampliação da presença de mulheres no Parlamento e em funções públicas e a participação da sociedade nessa reforma. Entre as entidades que defendem essa proposta estão a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Confederação Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), Central Única dos Trabalhadores (CUT), Confederação Nacional dos Trabalhadores na Agricultura (Contag) e União Nacional dos Estudantes (UNE), além dos partidos PT, PCdoB e PSOL.

“Se fizermos uma reforma política que diminua a participação popular e que garanta o apoio e o financiamento privado, corremos o risco de continuar desmoralizando o Parlamento perante a sociedade brasileira. Por isso, queremos mais participação das mulheres, mais participação da juventude e fim do financiamento privado”, disse. Para o deputado, é preciso fazer com que a sociedade acredite no Parlamento, acredite nos governantes, e para isso é preciso ouvir as ruas.

 

O deputado também se posicionou contrário à proposta do “distritão” no sistema eleitoral, que elegerá os mais votados de cada estado. “Isso preocupa pelo fato de que somente os mais conhecidos é que serão eleitos e as propostas programáticas dos partidos ficaram em segundo plano”, observou, frisando que é preciso uma reforma que fortaleça os partidos políticos.

 

Na avaliação de João Daniel, as iniciativas que já chegaram à Câmara levadas por várias entidades, entre elas OAB e CNBB, precisam ser ouvidas. “E é nesse sentido que fazemos um apelo para que a Câmara dos Deputados, que o presidente desta Casa não apresse, mas ouça e possamos fazer o mínimo de uma reforma antenada com os interesses nacionais e da sociedade brasileira”, afirmou João Daniel.

Fotos: Márcio Garcez

Por Edjane Oliveira, da Assessoria de Imprensa