João Daniel destaca crescimento da produção no pré-sal e defende manutenção da Petrobras como exploradora


Aracaju, 3 de setembro de 2015

 

O aumento da produção de petróleo e gás natural extraídos do pré-sal, divulgado essa semana pala Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustível (ANP), foi destacado pelo deputado federal João Daniel (PT/SE) na sessão dessa quinta-feira, dia 3, na Câmara. Ele defendeu que a Petrobras continue fazendo a exploração e repudiou, mais uma vez, a tentativa da oposição em entregar a exploração nas mãos de empresas estrangeiras. Para o deputado, talvez seja esse crescimento na produção que alimenta o desejo dos tucanos em mudar o regime de partilha do pré-sal.

 

De acordo com a agência reguladora, a produção do pré-sal, no mês de julho, alcançou a marca de 812,1 mil barris por dia de petróleo e 30,5 milhões de metros cúbicos por dia de gás natural, o que totaliza pouco mais de um milhão de barris de óleo equivalente diários. Ainda segundo a ANP, a produção é oriunda de 54 poços do pré-sal e representa um aumento de 8,4% em relação ao mês anterior.

 

Com esse resultado, a produção total de petróleo e gás natural no Brasil no mês de julho alcançou aproximadamente 3,066 milhões de barris de óleo equivalente por dia. Esses dados superiores levam em conta outras formas de extração de óleo e gás e não apenas o pré-sal. Cerca de 92,5% da produção de petróleo e gás natural foi proveniente de campos operados pela Petrobras. Aproximadamente 93,5% da produção de petróleo e 76% da produção de gás natural do Brasil foram extraídos de campos marítimos.

 

Em seu pronunciamento, o deputado João Daniel destacou a importância da Petrobras para o Brasil e para o povo brasileiro. Ele parabenizou a resistência e a luta de todos os trabalhadores e trabalhadoras que fazem a empresa, bem como todos os brasileiros que defendem essa estatal. “Parabenizo, em especial, o Governo do ex-presidente Lula, que fortaleceu essa grande empresa, que é um exemplo para o povo brasileiro. Existem pesquisas hoje que constatam que é o sonho da juventude estar empregada e trabalhar nessa empresa”.

 

Para João Daniel, apesar da ofensiva de setores conservadores e de forças internacionais pela privatização e pelo não controle do pré-sal, o Brasil continua tendo uma das maiores empresas do mundo, uma empresa estratégica e importante para a soberania nacional.

 

Exploração

Na sua fala, o deputado também defendeu e apresentou razoes sobre o porquê a Petrobras é quem deve explorar o pré-sal. No seu entendimento, entregar o pré-sal nas mãos de empresas estrangeiras, como prevê o PLS 131/2015, de autoria do senador José Serra, vai afetar o Brasil mais do que se imagina. Entre as principais razões, segundo ele, para a estatal brasileira ser a operadora e ter grande participação no pré-sal, está a garantia da política de conteúdo local, ou seja, a Petrobras, como operadora única, conduz os empreendimentos, realiza a seleção e o desenvolvimento de fornecedores de bens e serviços no Brasil.

 

Na avaliação de João Daniel, a proposta de Serra é uma grave ameaça à soberania nacional, aos direitos e riquezas nacionais, tendo em vista que tira o papel da Petrobras como exploradora única do pré-sal. Para o parlamentar, com a operação e a condução dos empreendimentos feitos pela Petrobras, é possível também que mais e melhores empregos sejam criados no Brasil. “Já com as multinacionais no comando do pré-sal, os serviços especializados, além de especialistas, supervisores e gerentes contratados, seriam de países de origem das empresas estrangeiras”, alertou, ao acrescentar que defender a Petrobras é defender o Brasil e os trabalhadores.

 

Por Edjane Oliveira, da Assessoria de Imprensa