João Daniel destaca ato no Dia de Combate ao uso de Agrotóxicos


Aracaju, 03 de dezembro de 2014

Edjane Oliveira, da Assessoria de Imprensa

Foto: Maria Odília, da Agência Alese

Click para ampliarO deputado João Daniel (PT) registrou, na tribuna da Assembleia Legislativa, o ato realizado na manhã de hoje, dia 3, na praça Fausto Cardoso para marcar o Dia Internacional do Não Uso de Agrotóxicos, que teve como objetivo mostrar os impactos e consequências do uso descontrolado dessas substâncias. Segundo o parlamentar, esta é uma campanha permanente pela vida e que convoca todos os cidadãos brasileiros a se unirem e exigir que tenhamos alimentos sem veneno.

Nesse sentido, ele destacou a importância do apoio da Assembleia Legislativa. João Daniel lembrou, inclusive, que existe um projeto de lei de sua autoria tramitando na Casa, que dispõe sobre a proibição do uso de aeronaves na pulverização de agrotóxicos na agricultura e dá outras providências. O deputado fez um apelo aos presidentes das Comissões da Casa e à Diretoria Legislativa, para que o projeto possa tramitar e o mais rápido possível.

Segundo João Daniel, a necessidade de uma redução no combate ao uso desenfreado de agrotóxico é um assunto debatido no mundo inteiro e no Brasil. Aqui em Sergipe, disse, esse movimento está representado por lideranças do movimento social, sindical, trabalhadores sem terra, movimentos populares e urbanos, que estão coordenando essa campanha.

 

Foto: Luiz Fernando, da Assessoria

Click para ampliar

Foto: Ronaldo Sales, da Assessoria

Click para ampliar

Desastre
Em seu discurso, o deputado lembrou a origem do dia 3 de dezembro como data para marcar o não uso de agrotóxicos, quando em Bophal, na Índia, toneladas de gases tóxicos metil isocianato e hidrocianeto, químicos utilizado na elaboração de um praguicida da Corporación Union Carbide, vazaram e se dissipam pela cidade. Trinta mil pessoas, oito mil nos três primeiros dias, morreram devido ao acidente e, ainda hoje, estimativas indicam que 150 mil sofrem de doenças crônico-degenerativas causadas pela exposição aos gases letais.

 

 

O desastre químico foi considerado o pior da história e a data foi estabelecida pela Pesticide Action Network (PAN) como o dia internacional do não uso de agrotóxicos. “A Dow é hoje uma das seis gigantes do mercado de venenos e sementes transgênicas, e em 2012 faturou U$ 60 bilhões”, acrescentou.

 

 

João Daniel defendeu que é preciso que tenhamos uma grande política de estímulo à produção de alimentos saudáveis. “E nossa população precisa ter conhecimento de todos os danos causados pelos agrotóxicos, até para ter uma visão crítica e saber da gravidade dos problemas de consumo e agrotóxicos. Lamentavelmente, nosso país é um dos que mais consomem”, destacou.

Fotos: Luiz Fernando (1) e Ronaldo Sales (2 e 3), da Assessoria