João Daniel denuncia perseguição política a integrantes do MST


Aracaju, 1 de junho de 2016

Na tribuna da Câmara, o deputado João Daniel (PT/SE) denunciou a perseguição política que os movimentos sociais do campo, em especial do Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST), têm sofrido. Como coordenador do Núcleo Agrário da bancada federal do Partido dos Trabalhadores, João Daniel levou solidariedade aos movimentos e lamentou o absurdo que tem ocorrido em alguns Estados. Em especial, ele citou o caso de Goiás, onde ocorreram duas prisões, que ele classificou como arbitrárias.

 

O deputado registrou a prisão da liderança da Via Campesina e do MST naquele Estado, Luiz Batista Borges, preso desde 14 de abril, na cidade de Rio Verde, e ontem foi preso, no Rio Grande do Sul, um dos grandes e sérios dirigentes e militantes da reforma agrária, José Valdir Misnerovicz. “Essas prisões representam perseguição e deixam indignados trabalhadoras e trabalhadores do campo. Nós esperamos que o Judiciário de Goiás possa revê-las”, apelou o parlamentar.

 

João Daniel se solidarizou com os dois companheiros presos. Nesta quinta-feira, dia 2, o parlamentar e coordenador do Núcleo Agrário do PT na Câmara estará em Goiás visitando Luiz Borges e Valdir Misnerovicz e participando de uma audiência. Em seu pronunciamento, o deputado revelou que há denúncias de que essas prisões são perseguição aos movimentos sociais e foram uma armação, com envolvimento de um senador do Democratas e setores da Secretaria de Segurança Pública daquele estado, com influência do latifúndio e grilagem de terra.

 

“Não podemos aceitar injustiça em qualquer parte do mundo, muito menos em nosso país e com trabalhadores e trabalhadoras rurais. E que o Judiciário faça justiça e possa liberar esses dois companheiros”, completou o deputado João Daniel.

Por Edjane Oliveira, da Assessoria de Imprensa