João Daniel defende importância da produção de alimentos saudáveis


O deputado João Daniel registou e defendeu a importância do Dia Mundial da Alimentação, ocorrido no último dia 16. Como o parlamentar não esteve em plenário na data, fez questão de destacar, em discurso feito na tribuna da Assembleia Legislativa, na sessão desta quarta-feira, dia 23, as mobilizações realizadas pela Via Campesina Internacional e Nacional em alusão à data.

Segundo ele, aqui em Sergipe ocorreram muitas mobilizações em defesa da construção de um grande projeto para o Brasil de produtos, de alimentos saudáveis, contra os agrotóxicos, contra a política das grandes empresas que atuam no mundo inteiro. “São milhões de hectares de terra que estão concentrados nas mãos de grandes empresas internacionais, inclusive na área de álcool e açúcar e muitas que já foram vendidas para grandes empresas internacionais que vêm e aqui implementam políticas sem respeito nenhum à questão ambiental e, muito menos preocupadas com a questão alimentar. Pelo contrário. Vêm para barganhar o financiamento do BNDES e bancos internacionais e implantar sua política de lucro”, disse, ao declarar seu total apoio à Via Campesina e movimento dos pequenos agricultores de Sergipe que participaram de um grande ato em Petrolina e Juazeiro, e o Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST), que fez várias mobilizações no interior de Sergipe.

Esclarecimento

Da tribuna, o deputado João Daniel aproveitou para fazer um esclarecimento. Segundo ele, não sabe qual foi a fonte, mas na semana passada, no dia 17 espalhou-se uma notícia inverídica de que em um dos trancamentos de rodovias realizados um motorista havia sido morto. Isso foi divulgado em várias emissoras de rádio. “Mas esse motorista não morreu nem foi agredido. Foi uma mentira. Alguém plantou a notícia e quem conhece sabe que o MST fez e faz mobilizações, trancamento de rodovias, mas nunca agrediu fisicamente nenhuma pessoa”, afirmou.

O deputado disse que fez esse pronunciamento para deixar a situação clara, para que não houvesse dúvidas sobre o assunto. “Sempre houve e haverá mobilizações, mas jamais no sentido de agredir qualquer trabalhador”, disse, acrescentando que nesse episódio o motorista tentou passar sobre a mobilização, mas não houve agressão física a ele. “Queremos registrar total apoio às mobilizações e lutas e deixar claro que não houve agressão física em qualquer mobilização feita em Sergipe”, frisou.