João Daniel defende ação integrada entre os governos em defesa da Caatinga


Aracaju, 28 de abril de 2015

O deputado federal João Daniel (PT/SE) registrou em pronunciamento na Câmara Federal, a passagem do Dia Nacional da Caatinga, comemorado neste 28 de abril. A caatinga é um bioma típico das regiões secas. Conhecida como “mata branca”, a caatinga ocupa 11% do território brasileiro. Para o parlamentar, é preciso uma atenção maior a esse bioma que tem sido devastado de maneira crescente.

 

A caatinga ocupa uma área de cerca de 840 quilômetros quadrados e engloba os estados de Alagoas, Bahia, Ceará, Maranhão, Pernambuco, Paraíba, Rio Grande do Norte, Piauí, Sergipe e o norte de Minas Gerais. Rico em biodiversidade, o bioma abriga uma flora inteiramente diversificada e rica, além de contar com uma população de mais de 27 milhões de pessoas que dependem dos recursos do bioma para a sua sobrevivência.

 

“A caatinga se apresenta como um importante polo de biodiversidade que conta com diversas atividades econômicas e que, se bem utilizada, pode ser importantíssima para o desenvolvimento da região e do país. Mas, apesar da importância, o bioma tem sido desmatado de forma acelerada, devido, principalmente, ao consumo de lenha nativa, explorada de forma ilegal e de forma não sustentável, para fins domésticos e indústrias e também para pastagens e agricultura”, destacou João Daniel.

 

O deputado registrou que, em Sergipe, a Companhia de Desenvolvimento do Vale do São Francisco (Codevasf) fez a doação de uma área para ampliação do Monumento Natural Grota do Angico, uma unidade de conservação localizada entre os municípios sergipanos de Canindé de São Francisco e Poço Redondo. Com o repasse, a unidade será ampliada em 85,3 hectares, contribuindo para a preservação da caatinga no Alto Sertão sergipano. O termo de doação que transferiu a área à Secretaria de Estado do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos (Semarh) foi assinado em março.

 

“Entendo que precisamos ter uma ação cada vez mais integrada entre os governos, as entidades ambientes e as próprias empresas, no sentido de buscar uma melhor convivência com esse bioma, ao tempo em que esperamos que o Congresso Nacional mude de atitude e o que estamos vivenciando com uma bancada ruralista que tem o lucro como objetivo e que impõe derrotas ao povo como ontem aconteceu ontem na votação do projeto da biodiversidade. Temos que entender que o Nordeste e o seu bioma precisam ser protegidos para que dê sustentação aos programas de superação das desigualdades regionais que enfrentamos”, afirmou o deputado João Daniel.

Por Edjane Oliveira, da Assessoria de Imprensa

Foto: do Portal Infonet