João Daniel comemora imissão de posse em Cristinápolis e assentamento de mais de 300 famílias


Mais de 300 famílias, a maioria delas sergipanas, foram beneficiadas com a imissão de posse da antiga fazenda Nova Esperança, localizada em Cristinápolis, já divisa com a cidade baiana de Rio Real. A conquista da terra por essas famílias foi destacada pelo deputado federal João Daniel (PT/SE), na sessão desta terça-feira, dia 25, na Câmara. O parlamentar participou do ato de imissão de posse, realizado pela Superintendência Regional do Incra em Sergipe, na última sexta-feira, dia 21.

 

A área, com quase 3 mil hectares de extensão e que irá beneficiar 320 famílias que serão assentadas, foi adquirida pelo Incra por R$ 26 milhões. Onde antes era apenas uma fazenda, agora serão três assentamentos: Assentamento Luiz Alberto (em Cristinápolis), Assentamento Oscar Romero (entre os municípios de Tomar do Geru e Cristinápolis) e Assentamento Antônio Araújo (em Rio Real-BA), sendo primeira área de reforma agrária nesse município baiano.

 

O deputado João Daniel parabenizou o Incra, todos seus funcionários e todas as famílias por essa importante conquista, pois aquele momento marcava o resultado de anos de luta. “Esse passa a ser o segundo maior assentamento de Sergipe, apesar de parte na Bahia, e nessa terra os assentados vão, junto com a assistência técnica, ter muito o que cuidar, plantar, e colher, mas, mais do que isso, mostrar às crianças e jovens que é possível construir uma sociedade justa, igualitária e fraterna. Plantando e colhendo fartura para nossos filhos, mas também lutando por educação para eles. Educação essa de qualidade aqui na área rural, para que eles não precisem se deslocar para a cidade para estudar”, ressaltou Daniel.

 

A imissão de posse do imóvel Fazenda Nova Esperança marca uma conquista histórica. A área estava ocupada por trabalhadores rurais sem-terra desde 11 de outubro de 2011, quando 380 famílias chegaram para tornar aquela terra que não cumpria sua função social em área produtiva. Lutaram, resistiram e agora podem produzir para colher com fartura. “Parabenizamos essas famílias que lutaram por essa terra, que agora passará a ser produtiva, onde centenas de famílias irão produzir e dela tirar seu sustento e levar alimento de qualidade para outras famílias com a venda da sua produção”, disse, ao citar o nome das lideranças Batista e Gilberto.

 

Estiveram presentes à imissão de posse Giuliana de Oliveira, representando a presidenta nacional do Incra, Lúcia Falcón; o superintendente Regional do Incra em Sergipe, André Bonfim; o prefeito do município de Cristinápolis, Padre Raimundo; o prefeito de Rio Real, Orlando do Banco; além do procurador Regional Especial do Incra, Marcos Bispo; e Cláudio Lima, representando o governo do Estado de Sergipe.

Grande conquista

O prefeito de Cristinápolis, Padre Raimundo, destacou a importância do assentamento dessas famílias, porque o município tem uma centralização grande de terra. “Essa é uma forma de reduzir a pobreza através da reforma agrária. A terra é o que alimenta. E assentar essas famílias é possibilitar que elas comecem a produzir. É a terra na mão do povo que agora, organizado, vai produzir”, destacou.

 

Já o prefeito de Rio Real comemorou o primeiro assentamento regular no município. Ele destacou o papel decisivo da atuação de algumas pessoas, como Batista, o deputado federal João Daniel e o ex-superintendente do Incra em Sergipe, hoje presidente adjunto do Instituto, Leonardo Góes, para que isso acontecesse. “Graças à atuação dessas pessoas, hoje Rio Real tem famílias beneficiadas pela reforma agrária. É um momento histórico”, ressaltou.

 

Para Giuliana de Oliveira, que representou a presidenta do Incra, a posse da terra para cada uma dessas famílias tem um significado muito grande, pois elas terão uma área sua para poder plantar, colher e dele obter seu sustento e de suas famílias. “E agora começa uma nova fase na vida delas e para o Incra, que é oferecer a assistência técnica para que produzam com qualidade”, completou.

 

O delegado federal do Ministério da Agricultura em Sergipe, Jadson Costa Santos, que também prestigiou a imissão de posse, observou que esse é um ato de justiça social com aqueles que contribuem em termos de alimentação saudável para a população, com a produção de alimentos com qualidade. “É um grande momento para essas famílias e o Ministério da Agricultura se manifesta como um grande parceiro para orientar essas famílias para que venham produzir de forma qualificada e, futuramente, com agroindústrias possam vender os produtos produzidos, com qualidade e com valor agregado”, disse.

 

Bastante felizes com a posse da terra, as famílias não escondiam a satisfação. Batista, um dos primeiros ocupantes da área, disse ter certeza que aquele momento era um marco na vida de cada um dos homens e mulheres que agora passavam a ser assentados. “Esses três municípios vão mudar para melhor a partir de agora. Nós não queremos riqueza nem pobreza, mas como pais de família queríamos apenas nosso pedaço de chão para plantar, alimentar nossos filhos e vender para nosso sustento. Agora temos. Mas a nossa luta não para enquanto tivermos famílias ainda sem-terra”, afirmou.

 

Por Edjane Oliveira, da Assessoria de Imprensa