João Daniel: “8 de Março é um dia de luta para as mulheres”


Ano 1 – Nº 98 – Quarta-feira, 7/3/2012


Habacuque Villacorte, da Agência Alese (www.agenciaalese.se.gov.br)

O deputado estadual João Daniel (PT) ocupou a tribuna da Assembleia Legislativa, na manhã de hoje, 7, para destacar que o 8 de Março é um dia marcado pela luta das mulheres trabalhadoras e que vai muito além de um dia festivo. O petista fez um levantamento histórico para explicar porque a data é tão celebrada e lembrou que ela marca um novo momento quanto à valorização da mulher. Saudando as trabalhadoras rurais e as pescadoras que se encontravam nas galerias da Casa, João Daniel iniciou seu pronunciamento ressaltando que pelo fato da Assembleia Legislativa promover uma sessão especial, nesta quinta, 8, em homenagem ao Dia Internacional da Mulher, ele resolveu fazer o pronunciamento logo hoje. “Como fiz ontem, registro novamente a Semana de Mobilização Nacional das Trabalhadoras Rurais para celebrar o 8 de Março, que não é um dia festivo para as mulheres, mas um dia de luta, quando as mulheres trabalhadoras ergueram suas cabeças para iniciarem uma história de participações e conquistas”.

Em seguida, o deputado colocou que “no dia 8 de Março de 1957, operárias de uma fábrica de tecidos, situada em Nova Iorque, fizeram uma grande greve, reivindicando melhores condições de trabalho, tais como, redução na carga diária de trabalho para 10 horas e equiparação de salários com os homens. A manifestação foi reprimida com tanta violência que cerca de 130 tecelãs foram trancadas na fábrica e esta foi incendiada, com as vítimas mortas carbonizadas, num ato totalmente desumano”. João Daniel lembrou que somente em 1910, durante uma Conferência na Dinamarca, ficou decidido que o 8 de Março passaria a ser o “Dia Internacional da Mulher”, em homenagem as mulheres que morreram na fábrica de 1857, cuja data foi oficializada pela ONU em 1975. “O objetivo da data é discutir o papel da mulher na sociedade atual. O esforço é para tentar diminuir e, quem sabe um dia terminar, com o preconceito e a desvalorização da mulher”.

João Daniel lembrou ainda que em todo o País os movimentos representativos vão entregar suas pautas aos governadores e o mesmo acontecerá em Sergipe, além de uma pauta geral que será encaminhada à presidente da República, Dilma Rousseff (PT). O petista foi aparteado pelas deputadas Susana Azevedo (PSC), Goretti Reis (DEM) e Ana Lúcia (PT), além do deputado e líder do governo, Francisco Gualberto (PT).