Educação: João Daniel externa preocupação com encaminhamentos do atual governo


 

Aracaju, 23 de novembro de 2016

No sábado, João Daniel visitou ocupação em escola de Porto da Folha

Em discurso na Câmara dos Deputados, João Daniel (PT/SE) destacou a importância do grande movimento da juventude em todo país, no enfrentamento às propostas do governo federal que trazem reflexos diretos à educação. Nas ocupações em várias escolas e nas universidades, os estudantes têm debatido e enfrentado temas como a PEC 55 que tramita no Senado e já aprovada na Câmara como PEC 241, a reforma do Ensino Médio, projeto imposto pelo atual ministro da Educação, Mendonça Filho, sem que tenha havido debate com estudantes e educadores.

 

“Queria parabenizar os jovens do movimento estudantil que, com rebeldia, estão fazendo grandes mobilizações, ocupações de escolas, de universidades”, disse o deputado João Daniel. Na última segunda-feira, ele acompanhou lideranças do movimento estudantil em Sergipe numa audiência com o governador Jackson Barreto, que recebeu os jovens, ouviu e debateu. “O governador tem compromisso com as causas do nosso País, como a educação e também com as causas históricas”, disse.

 

Segundo João Daniel, é uma preocupação muito grande de todo movimento estudantil, sergipano – como da União Nacional dos Estudantes (UNE), da União Brasileira dos Estudantes Secundaristas (Ubes), da União dos Estudantes Secundaristas (Uses), do movimento da juventude do Coletivo Quilombo e dos demais grupos que se articulam no movimento estudantil – essa PEC e a reforma do Ensino Médio, que se configuram como golpes contra a atual juventude e o futuro da educação no país.  “Nós estamos preocupados, pois não vemos nenhuma sinalização das obras do campus da Universidade Federal de Sergipe do Alto Sertão, uma conquista do Governo Lula, do Governo da presidente Dilma. As obras estão paralisadas”, informou o parlamentar.

 

Educação libertadora

Para o deputado, esse governo federal está trabalhando para excluir da universidade os jovens mais pobres. “Estamos analisando e vendo que este é um Governo que trabalha para que a educação futuramente passe a ser um privilégio daqueles que têm dinheiro e para que a grande maioria da juventude, filha de trabalhadores do campo e da cidade, seja excluída das universidades. Querem transformar a educação em uma atividade cujo único objetivo é formar trabalhador e trabalhadora para o mercado de trabalho. Educação tem outro sentido, tem o sentido da libertação, da visão crítica e da construção de um mundo melhor”, afirmou João Daniel.

 

Para ele, deve-se ter escolas profissionalizantes, mas não se deve retirar do currículo do Ensino Médio as matérias essenciais que fazem as pessoas refletirem para construir uma vida ligada à natureza, ligada a um mundo de justiça. “Por isso eu quero parabenizar a juventude brasileira, a UNE, a UBES, todo movimento estudantil, fundamentais nesta luta em defesa da educação e de um Brasil para todos”, ressaltou o deputado petista.

 

Por Edjane Oliveira, da Assessoria de Imprensa

Foto: Márcio Garcez