Deputado registra criação do Fórum Sergipano de Combate aos Impactos dos Venenos Agrícolas


Aracaju, 4 de março de 2015

O deputado federal João Daniel (PT/SE) registrou, na sessão dessa quarta-feira, dia 4, a realização da audiência pública que criou o Fórum Sergipano de Combate aos Impactos dos Venenos Agrícolas, ocorrida na última quinta-feira, dia 26. O Brasil é o maior consumidor de veneno agrícola do mundo e nos últimos anos houve um aumento considerável nesse consumo. Como estava em Brasília, João Daniel justificou que não pode participar, mas esteve representado através do mandato popular, participando e apoiando a construção desse fórum.

 

O fórum está sob a coordenação do Ministério Público do Trabalho, representado pelo procurador Manoel Adroaldo Bispo, e conta com a participação de representantes de diversas instituições públicas, privadas e da sociedade civil, como a Universidade Federal de Sergipe (UFS), Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Sergipe (IFS), Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), Conselho Regional de Engenharia e Arquitetura de Sergipe (Crea/SE), Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra (MST), Articulação do Semiárido Sergipano (ASA).

 

Segundo ele, a audiência e criação do Fórum contou com a participação do coordenador do Fórum Nacional de Combate aos Impactos do Veneno Agrícola, Pedro Serafim; o procurador-geral do Trabalho, Luis Antônio Camargo; e a subprocuradora-geral da República, Fátima Borghi. Um dado importante levantado na oportunidade é que o Brasil responde por 20% do consumo mundial de veneno agrícola e esse produto continua sendo utilizado de forma indiscriminada e por pessoas que não recebem as devidas informações sobre os reais riscos de uso e manipulação.

 

Durante a audiência, foi eleita a formação do Fórum que ficou assim composto: coordenador: Manoel Adroaldo Bispo (procurador do Trabalho); coordenador adjunto: Jorge Rabanal (engenheiro agrônomo, especialista em Agroecologia, membro da Consulta Popular); e secretária executiva: Tereza Raquel Sena (professora da UFS).

 

Foto: Ilustração internet