Deputado João Daniel registra importância do dia 1º de Maio


Edjane Oliveira, da Agência Alese

O deputado João Daniel (PT) usou a tribuna da Assembleia Legislativa durante a sessão de hoje, dia 2, para destacar a passagem do dia 1º de maio, em que se comemora do Dia do Trabalhador, para ele uma data importante, mas que às vezes vai perdendo o sentido. O parlamentar registrou que em Sergipe para marcar o dia foram realizadas diversas atividades, na capital e no interior. Segundo ele, na segunda-feira, em Aracaju, aconteceu um ato da juventude da Universidade Federal de Sergipe (UFS) que se identificam com os movimentos sociais e que estão reivindicando a criação da Comissão da Verdade, com a abertura dos arquivos da ditadura. O ato teve a participação também do Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST) e Consulta Popular.

João Daniel registrou também as atividades realizadas pelas centrais sindicais, no dia de ontem, contando também com a participação do MST e outras organizações. Ele destacou o ato ocorrido na região do alto sertão, na cidade de Monte Alegre de Sergipe, e no município de Salgado, realizado pelo Sindicato dos Trabalhadores Rurais, com passeata, do qual ele participou. “E no Brasil e no mundo inteiro foram realizados atos quando se relembra o dia 1º de maio”, disse.

Em seu discurso, ele parabenizou todas as lideranças das centrais sindicais, organizações e movimentos sociais que organizaram e trabalharam o ato de 1º de maio. O deputado João Daniel destacou em seu discurso um pouco da história da data que surgiu da luta dos trabalhadores, em 1886, em Chicago, nos Estados Unidos, maior centro operário do mundo, onde se reuniam as maiores organizações sociais, centenas, milhares de trabalhadores sofreram repressão por parte do Estado, dos donos das fábricas e lá iniciaram todo debate da situação dos operários do mundo. Segundo ele, lá se discutiu a questão da jornada de 8 horas de trabalho diário e iniciou essa luta histórica, pois na época a lei obrigava 13 horas diárias para os trabalhadores nas fábricas.

“As manifestações foram fortemente reprimidas, vários trabalhadores foram presos nesse dia que origina o 1º de maio, inclusive seis foram assassinados por ocasião da greve. Os acontecimentos de Chicago tornam-se um fato histórico em setembro 1891, quando durante o segundo Congresso da Segunda Internacional Comunista no mundo se aprova uma resolução propondo a criação do Dia Internacional de Luta dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Mundo e cria a partir dessa ideia de reivindicação não só nos Estados Unidos, mas em todos os continentes, pela luta dos trabalhadores”, afirmou.

De acordo com o parlamentar, a partir de então sempre em 1º de maio os trabalhadores em todo mundo fazem atos para marcar a data, cada país e cada continente de acordo com a sua história. João Daniel acrescentou que no Brasil houve vários avanços que não se pode negar. Ele disse que uma das grandes conquistas foi o pronunciamento firme e forte da presidente Dilma Rousseff, na véspera do 1º de maio, em cadeia de rádio e televisão, sobre a questão da especulação e acumulação de riquezas por parte dos bancos, que ao longo da história têm lucrado e continuam lucrando com a exploração.

“Uma das grandes bandeiras que a classe trabalhadora tem pautado é a diminuição dos juros e a coragem e a firmeza que espero que continue assim a presidenta em reafirmar, no dia 1º de maio, a luta em defesa pela redução dos juros, exploração que os grandes bancos privados nacionais e internacionais fazem aqui em nosso país ao longo da história”, disse João Daniel.

No Brasil

Em seu pronunciamento, o deputado João Daniel falou também sobre a história do 1º de maio no Brasil. Segundo ele, o estudioso Perseu Abramo mostra que a história dessa data no país teve origem por um grande sergipano, que foi o médico Silvério Fontes, filho da cidade de São Cristóvão. Ele disse que Silvério foi um grande estudioso, formou-se em Medicina e viveu a situação de Santos (SP), uma das cidades com graves problemas, e desenvolveu vários estudos e tinha um centro operário. “E todos os registros que temos foi a partir do que foi registrado nesse centro”, disse João Daniel, acrescentando que este é um dia de luto e de luta, não só pela redução da jornada de trabalho, mas também pela conquista de todas as reivindicações e direitos por todos que lutam pela distribuição da riqueza.

Durante seu discurso, o parlamentar fez a leitura de um poema sobre o 1º de maio de autoria de Vladmir Maiakoviski. Ao finalizar, ele registrou sua homenagem a todos os trabalhadores que lutam pela diminuição da carga horária dos operários, a todas as centrais sindicais e movimentos sociais que lutam para que o 1º de maio seja sempre um dia de luta e espaço de debate para melhorar as condições de vida dos trabalhadores no campo e na cidade.