Deputado destaca celebração Xokó na Ilha de São Pedro


O deputado estadual João Daniel usou a tribuna nesta terça-feira, 11, para destacar, no parlamento, a festa de comemoração dos 33 anos da retomada da Ilha de são Pedro, em Porto da Folha, onde vivem os índios da tribo Xokó. “Destaco a restauração da igreja de São Pedro, na Ilha de São Pedro. E destaco ainda a presença do prefeito Manoel de Rosinha, de Porto da Folha, e do frei Enoque, além da Caixa Econômica Federal, que esteve presente na aldeia onde constrói 50 unidades habitacionais para os jovens que não têm moradia”.
O parlamentar disse que foi um dia inesquecível para os índios Xokós, que festejaram retomada da ilha de São Pedro. “Foi uma celebração da cultura e da história. Tivemos comida típica, como no almoço ofertado aos convidados comidas típicas. É uma comunidade que luta, que resiste em defesa de sua gente, de sua terra e de sua história”, destacou. De acordo com o deputado, na oportunidade foi celebrado o casamento do cacique Lucimário Apolônio com uma jovem índia da aldeia, Daniele. Segundo João Daniel, estiveram presentes na cerimônia diversas autoridades do Estado, como o representante do governo, o subsecretário do Patrimônio Histórico de Sergipe, que tem dado dado apoio aos índios.

Allende – João Daniel destacou também que o 11 de setembro é um dia histórico para o mundo. O parlamentar lembrou que foi nesta data que houve o golpe militar no Chile em 1973. “Temos uma data que marca a história da América Latina, com o golpe militar no Chile. Todos os anos há atos de protesto e de resgate dessa data. Certa vez o atual vice-governador Jackson Barreto participou das homenagens a Salvador Allende”, lembrou. João Daniel afirma que em 11 de setembro de 1973 o general Pinochet, condenado apenas agora pelas atrocidades que cometeu, autor do golpe militar que tirou Allende do poder, comandou o assassinato do líder popular. “Um golpe financiado pelo governo dos Estados Unidos”, disse o deputado. “Estádios de futebol foram usados como prisões e muitos brasileiros foram presos ou torturados. Portanto, 11 de setembro representa um marco da luta dos trabalhadores, lembrando a luta de Salvador Allende por uma sociedade justa e igualitária”.

Dilson Ramos, da Agência Alese (www.agenciaalese.se.gov.br)