Brasil precisa reconhecer as atrocidades cometidas com os negros, diz João Daniel


Aracaju, 19 de novembro de 2015

 

Em discurso na Câmara dos Deputados, João Daniel (PT) ressaltou que o Brasil precisa reconhecer, na sua verdadeira história, as atrocidades cometidas com os negros no país. Para o parlamentar, o Dia Nacional da Consciência Negra, que acontece nesta sexta-feira, dia 20, é uma data para que o país reflita e relembre a luta de homens e mulheres negros por um Brasil mais igualitário e é também um momento para o combate ao racismo e discriminação. “Nosso mandato acompanha todas as lutas das minorias deste país e principalmente de todo o movimento negro, dos quilombolas, dos indígenas e dos trabalhadores sem-terra, que lutam contra as várias formas de opressão e que acompanham com preocupação o avanço de projetos que vão contra os seus principais direitos”, disse.

 

Em seu discurso, o deputado saudou todas as mulheres que participaram da Marcha das Mulheres Negras, que aconteceu em Brasília, ato de luta pela igualdade racial. A marcha percorreu, na quarta-feira, a Esplanada dos Ministérios em direção ao Congresso Nacional, levantando a bandeira do combate à discriminação racial e à violência e contra os retrocessos raciais que se apresentam diante do atual Congresso conservador. “Deixo a minha homenagem a todas as mulheres, e o faço em nome de Gressi Santana, expoente da luta das mulheres sergipanas, na defesa dos negros e das comunidades quilombolas”, declarou.

 

Homenagem recebida pelo mandato do Criliber

O deputado João Daniel, em seu discurso, declarou seu apoio ao projeto de lei 296/2015, de autoria do deputado federal Valmir Assunção (PT/BA), que determina que o dia 20 de novembro, Dia Nacional da Consciência Negra, seja feriado nacional, uma data para reflexão e o reconhecimento da contribuição da população negra no Brasil.

 

Essa semana, o deputado João Daniel foi homenageado com o Prêmio Zumbi, pelo compromisso do mandato com a promoção da igualdade racial. O prêmio foi concedido pela Grupo Criança e Liberdade (Criliber), da Maloca, primeiro quilombo urbano de Sergipe e o segundo do Brasil.

 

Zumbi

No seu pronunciamento, o deputado João Daniel registrou a grande homenagem feita pelo ex-governador Marcelo Déda, em 2012, a Zumbi dos Palmares, com a colocação de uma estátua sua no Monumento aos Formadores da Nacionalidade, na Orla de Aracaju. Para o parlamentar esse foi um reconhecimento a essa grande personalidade histórica e lutador pela representação da história dos negros no Brasil.

 

Foto: ASN

Zumbi foi o principal representante da resistência negra à escravidão na época do Brasil Colonial. Foi líder do Quilombo dos Palmares, comunidade livre formada por escravos fugitivos dos engenhos, índios e brancos pobres expulsos das fazendas. Morto em 1695, no dia 20 de novembro, essa data foi instituída em 2003 como Dia Nacional da Consciência Negra, com o objetivo rememorar à resistência do negro contra a escravidão, desde o primeiro transporte de africanos para o solo brasileiro (1549).

 

Em sua fala, João Daniel também reverenciou o ativista negro Abdias Nascimento. Poeta, ator, escritor, dramaturgo, artista plástico, professor universitário, político e ativista dos direitos civis e humanos das populações negras, nascido em 1914 e que faleceu no dia 23 de maio de 2011. Ele foi também co-fundador do Movimento Negro Unificado em 1978, fundamental para o avanço das lutas dos negros brasileiros.

 

Edjane Oliveira, da Assessoria de Imprensa

Foto: Márcio Garcez, da Assessoria