Ao destacar resultado nas urnas, João Daniel reafirma defesa dos trabalhadores e movimentos sociais frente ao novo governo federal


Aracaju, 30 de outubro de 2018

 

 

A reeleição do governador de Sergipe, Belivaldo Chagas, e a vitória do candidato petista à Presidência da República Fernando Haddad nos 75 municípios sergipanos foram destacadas pelo deputado federal João Daniel (PT) em discurso na sessão da Câmara dos Deputados na noite desta terça-feira, dia 30. Ele parabenizou todo povo sergipano por esse resultado, em especial todos que estiveram envolvidos. Em seu pronunciamento, o parlamentar cobrou também apuração, por parte das autoridades, das denúncias contra o candidato eleito para a Presidência da República e afirmou que estará na Câmara compondo as fileiras de resistência contra medidas que este futuro governo queira implementar contra os trabalhadores e trabalhadoras brasileiros.

 

“Quero parabenizar toda a juventude, as mulheres, os homens, os prefeitos, os ex-prefeitos e os vereadores que lá estiveram nesse grande trabalho em defesa de um Brasil grande, de um Brasil da solidariedade, de um Brasil de programas sociais, de um Brasil de justiça”, disse. João Daniel acrescentou que espera que sejam apuradas todas as denúncias que existem contra a campanha do presidente eleito Jair Bolsonaro, “campanha mentirosa, difamatória, odiosa e preconceituosa”, completou.

 

João Daniel afirmou que espera que o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) faça justiça, pois, segundo ele, todos acompanharam e viram a utilização da força das empresas americanas que dispararam mensagens com notícias falsas através do aplicativo WhatsApp, dos empresários que bancaram com caixa dois. “Isso, até antes da eleição, era crime eleitoral. Portanto, nós precisamos de uma apuração rigorosa sobre o que houve do candidato Bolsonaro nessas eleições, eleições em que ganhou um projeto atrasado, reacionário, inclusive de ameaça aos movimentos sociais e à democracia”, colocou.

 

O parlamentar acrescentou que a bancada do PT na Câmara, e todos os que defendem a democracia e a Constituição deverão fazer a defesa da classe trabalhadora, do povo brasileiro, da nossa Constituição. “Não abriremos mão um minuto sequer de estar em defesa do povo brasileiro, de todas as categorias de servidores públicos, dos trabalhadores rurais, dos movimentos sociais, urbanos e rurais”, disse, ao ressaltar que o povo brasileiro derrotou a ditadura e que não haverá espaço para ditadores e preconceituosos. “Faremos a defesa no plenário, no Parlamento e nas ruas do Brasil, do povo brasileiro, dos movimentos sociais, populares e sindicais sem nenhum retrocesso”, completou.

 

Por Edjane Oliveira, da Assessoria de Imprensa